skip to Main Content
focus_logo_azul

Desenvolvido por

PRODAH - Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade - UFRGS

TDAH E SONO: QUAL A RELAÇÃO?

No vídeo de hoje falamos sobre a relação entre TDAH E SONO. Sabia que problemas de sono são uma das comorbidades mais comuns em crianças, adolescentes e adultos com TDAH? Para saber um pouco mais sobre o assunto e a relação entre dificuldades de sono e TDAH, assista o vídeo através do link: https://youtu.be/icCFIoDxlVM

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!

TRATAMENTO DO TDAH: HIGIENE DO SONO

No vídeo de hoje falamos sobre os prejuízos que dormir mal podem trazer para sua atenção e aprendizado. Para você dormir melhor, trouxemos várias dicas de higiene do sono, que precisam ser colocadas em prática diariamente para melhorar a qualidade do seu sono. Vem com a gente! Link do vídeo: https://youtu.be/TV0S63psYvM

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!

ESTRATÉGIAS DE ORGANIZAÇÃO PARA LIDAR COM OS SINTOMAS DE TDAH

No vídeo de hoje apresentamos algumas estratégias simples que podem ser usadas por pessoas com TDAH para auxiliar na organização do dia a dia. Recomendamos fortemente que os pacientes e familiares utilizem: 1. Agenda, seja ela virtual ou em papel; 2. Relógios e alarmes, seja de pulso/celular/parede. Além disso, ensinamos como usar a Matriz de Prioridades, que auxilia a organizar as tarefas por ordem de importância e urgência. Assista ao vídeo através do link: https://youtu.be/TDnWI7j5bG0

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!

COMORBIDADES NO TDAH

Nesse vídeo o Psiquiatra e Pesquisador do ProDAH – Vitor Breda fala sobre Comorbidades e a importância delas para o paciente com TDAH. Falou também sobre Comorbidade em Crianças e Adultos. Para entender mais sobre esse assunto, assista ao vídeo através do link: https://youtu.be/UVl3_UenzZo

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!

COMO O TDAH AFETA A SUA VIDA?

Você já se sentiu afetado pelos seus sintomas de TDAH? Onde isso aconteceu e que relacionamentos isso afetou? No vídeo de hoje falamos sobre prejuízos.
Prejuízos são consequências negativas do transtorno, ou seja, aquelas dificuldades do dia a dia que podem ser geradas em razão do TDAH. Para entender mais sobre isso e o que as pesquisas têm mostrado sobre o tema assista o vídeo através do link: https://youtu.be/hgiUOLvj7xY

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!
FATORES PSICOLÓGICOS ENVOLVIDOS NA ADESÃO A PISCOFARMACOS

FATORES PSICOLÓGICOS ENVOLVIDOS NA ADESÃO A PISCOFARMACOS

A adesão aos psicofármacos é essencial para o tratamento efetivo dos pacientes psiquiátricos. Pensando nisso, uma revisão sistemática publicada em 2020 no Patient Education and Counseling Journal  buscou analisar na literatura vigente fatores psicológicos de controle de saúde que estivessem relacionados a adesão ao tratamento medicamentoso. 

Ao todo foram incluídos 29 estudos, totalizando uma amostra de 222 adolescentes, a maioria com Transtorno de Déficit De Atenção/ Hiperatividade (TDAH), e 6139 adultos, diagnosticados especialmente com esquizofrenia, Transtorno de Humor Bipolar ou Transtorno Depressivo.

De acordo com o estudo, a adesão aos psicofármacos depende de diversos fatores sociodemográficos, clínicos e psicológicos. Ela está relacionada às crenças que os pacientes têm acerca da saúde e a variáveis psicológicas como a auto-eficácia e o locus de controle.

As principais razões encontradas para a não-adesão à farmacoterapia foram os efeitos adversos e a falta de motivação.  Além disso, a não-adesão medicamentosa foi associada com menores níveis de escolaridade e de status socioeconômico. Como escrevem os autores, isso poderia influenciar as percepções do indivíduo acerca da sua saúde mental e o seu comportamento em relação a sua saúde.

No geral, o diagnóstico e a duração do tratamento farmacológico não foram capazes de prever a adesão, apesar de que os sintomas e a gravidade da doença foram associados com a adesão medicamentosa.

Quanto a não-adesão não intencional, uma das principais barreiras encontradas foi a do esquecimento. 

Altas taxas de adesão foram relacionadas com uma maior percepção do indivíduo da necessidade do uso de tratamento medicamentoso e com o desejo de evitar readmissão no hospital. A participação no processo de decisão foi um fator também capaz de aumentar a adesão e a satisfação de alguns pacientes.

Além disso, foi encontrada uma associação positiva entre adesão e bem-estar, qualidade de vida e suporte familiar. Como escrevem os autores, isso corrobora a relevância de relações interpessoais positivas no processo de adesão aos medicamentos.

Sendo assim, como concluem os pesquisadores, são necessários programas multifacetados para promover a melhor adesão. Por exemplo, a educação dos pacientes poderia incluir o aumento da confiança nos medicamentos (aumento da percepção da necessidade) bem como informações sobre como a adesão aos medicamentos poderia aumentar a qualidade de vida. Além disso, também poderiam ser empregadas intervenções que incluam o comprometimento da família no tratamento do paciente, bem como uma participação mais ativa do paciente no processo de decisão.

Referência:
Marrero RJ, Fumero A, de Miguel A, Peñate W. Psychological factors involved in psychopharmacological medication adherence in mental health patients: A systematic review. Patient Educ Couns. 2020 Oct;103(10):2116-2131. doi: 10.1016/j.pec.2020.04.030. Epub 2020 May 7. PMID: 32402489.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top