skip to Main Content
focus_logo_azul

Desenvolvido por

PRODAH - Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade - UFRGS

O RITUAL DA LIÇÃO DE CASA: DICAS PARA AJUDAR OS FILHOS COM TDAH

O RITUAL DA LIÇÃO DE CASA: DICAS PARA AJUDAR OS FILHOS COM TDAH

A hora da tarefa de casa pode ser um problema para adultos e estudantes. Muitos jovens têm dificuldades para executar os exercícios em casa e, quando conseguem e entregam para o professor, este sequer tem noção do desafio que foi para completar a lição.

Muitos pais bem-intencionados assumem grande parte da tarefa por medo de que o filho sofra punições ou perca notas. Mas, você precisa lembrar que faz parte do trabalho deles se engajarem com os exercícios e completar as lições. É uma relação importante para o jovem.1

Para alcançar este grau de autonomia, os pais devem buscar um equilíbrio entre regras e flexibilidade, alcançando comportamentos produtivos e responsáveis por parte do filho.

Estudantes são empoderados pelos adultos, que devem ajudar os jovens a descobrirem seus próprios métodos e sucessos em pequenos e contínuos passos.

Se o seu filho está tendo problemas na hora de fazer as tarefas, reveja o básico do que chamamos de ritual do tema de casa.2 Deixe as regras bem claras para todos, inclusive para si mesmo. Se possível, ilustre-as no ambiente de estudo.

A melhor abordagem é testar diferentes modelos até encontrar um sistema que funcione para todos – a partir daí, tornar isso um hábito.

Mas, esta descoberta é complicada. Você precisará experimentar muito, usando criatividade e paciência. A sua conquista e a de seu filho, portanto, exigirá um pouco de tempo.

Como funciona na sua casa

A hora da lição deve começar todos os dias, no mesmo horário.

Você precisa criar um local específico, com o mínimo de distrações e o máximo de organização.

Não caia na ideia de que seu filho será capaz de prestar mais atenção se a televisão estiver ligada. Desligue os aparelhos eletrônicos à exceção de músicas de fundo, que podem ajudar alguns jovens, principalmente com tarefas rotineiras.

Este local de estudo será quase que sagrado, separado exclusivamente para a tarefa de casa. Os materiais da escola devem ficar lá, arrumados e sempre no mesmo lugar.2

Como funciona na escola

Seu papel principal é alinhar, com o professor, tarefas que se ajustem às capacidades do seu filho. Sua função é garantir que o estudante seja capaz de ser bem-sucedido nos exercícios, encontrando um equilíbrio entre o que a escola exige e o que seu filho pode fazer. Você será um mediador.3

A hora da lição de casa pode afetar tanto a motivação do seu filho em aprender quanto sua relação com ele. Muitos pais precisam de treinamento para desenvolver a rotina de estudo diária. Não hesite em buscar os pedagogos e psicólogos da escola para que vocês possam, juntos, criar um sistema de excelência, que funcione para todos.

Como funciona entre você e seu filho

Todas os dias, sente com seu filho e veja as lições e os trabalhos pendentes para o dia e para a semana. Discuta os materiais que precisam ser comprados e os conteúdos abordados. Tracem, juntos, um plano de ataque. Execute-o assim que chegarem a um planejamento ideal.

Lembre-se que “ideal” é apenas uma palavra. Redefina seu conceito de “perfeição”. Ajude seu filho a traçar objetivos razoáveis para que ambos fiquem felizes. Ao final de cada conquista, recompense o progresso e examine novos níveis de exercícios. Seu filho estará evoluindo e você precisa celebrar e aumentar o grau de desafio.

Ria muito e seja positivo. O reforço positivo é uma das formas mais eficientes de motivar estudantes com TDAH. Evite linguagem negativa e sempre faça questões abertas, subjetivas, que engajem o jovem em respostas complexas.4

Seja realista: a maioria esmagadora dos estudantes não gosta de fazer as tarefas de casa. Não os julgue por isso.

Concluindo:

O debate sobre a necessidade de lições de casa prossegue e não há um consenso sobre a importância deste exercício diário, principalmente em fases iniciais. De toda forma, há três argumentos favoráveis à prática que você precisa levar em conta:

Primeiramente, o envolvimento da família na educação tem efeitos muito positivos sobre a performance da criança na escola. O momento da tarefa de casa é a oportunidade das famílias se envolverem neste processo e ajudarem seus filhos a aprenderem não apenas os conteúdos, mas também a perceberem dificuldades e conquistas pessoais.

Em segundo lugar, a qualidade da relação entre família e escola é fundamental para o sucesso do jovem. A lição de casa é uma oportunidade para que pais e professores se conectem uns com os outros.

Por último, quando os alunos passam do ensino médio para a faculdade, eles precisarão ter bons hábitos de estudos estabelecidos, para que possam trabalhar de forma autônoma. A lição de casa é o melhor momento para desenvolver capacidades de estudo independentes.

Fontes

1 HANDLE HOMEWORK HASSLES, PART I. CHADD BLOG. Disponível em: http://creativeadhdparenting.blogspot.com/2015/09/handle-homework-hassles-part-i.html . Acesso em: 25 de setembro de 2018.

2 ESTABLISH THE HOMEWORK RITUAL: HANDLE HOMEWORK HASSLES, PART II. CHADD BLOG. Disponível em: http://creativeadhdparenting.blogspot.com/2015/09/the-homework-ritual-handle-homework.html . Acesso em: 25 de setembro de 2018.

3 GET SUPPORT & COMMUNICATE: HANDLE HOMEWORK HASSLES III. CHADD BLOG. Disponível em: http://creativeadhdparenting.blogspot.com/2015/09/get-support-communicate-handle-homework.html . Acesso em: 25 de setembro de 2018.

4 REDEFINE PERFECT: HANDLE HOMEWORK HASSLES IV. CHADD BLOG. Disponível em: http://creativeadhdparenting.blogspot.com/2015/09/redefine-perfect-handle-homework.html . Acesso em: 25 de setembro de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
O Que é TDAH (e O Que Não é) Na Sala De Aula

O que é TDAH (e o que não é) na sala de aula

Muitas crianças com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) desenvolvem sintomas da desordem antes de entrarem na escola. Mas, é na escola, quando eles manifestam dificuldades para atender expectativas relacionadas a crianças da idade, que os diagnósticos começam a ser formados1.

O TDAH é a primeira questão a ser levantada quando o comportamento ou as notas estão problemáticas. As situações são bem conhecidas: a criança não consegue ficar sentada, “cospe” respostas sem aguardar sua vez, não consegue fazer as lições de casa ou fica sonhando acordada enquanto o professor passa as instruções das tarefas. Estes são sintomas bastante comuns no transtorno.

Claro que estes comportamentos podem ser resultado de outros fatores, que vão da ansiedade ao trauma. Muitas vezes, sintomas similares ao TDAH podem surgir apenas pelo fato de a criança ser um pouco mais nova do que os colegas e, portanto, menos madura.

Por isso, é fundamental que professores e pais conheçam e compreendam como o TDAH se manifesta em sala de aula.

Observar as crianças com cuidado é especialmente importante quando elas são pequenas demais para articularem como estão se sentindo. Manter um olho atento sobre as crianças é relevante não apenas porque afeta a capacidade de aprendizado (dos colegas também), mas como também a vida social e emocional do jovem.

Quando os pequenos começam a fracassar ou ter grandes dificuldades na escola por um período de tempo extenso, a frustração pode levar a padrões de comportamento disfuncional que são bem difíceis de quebrar.

Sintomas de TDAH em sala de aula

Existem três tipos de comportamentos associados ao TDAH: desatenção, hiperatividade e impulsividade. Sim, todas as crianças têm estes comportamentos ocasionalmente. Falamos, aqui, de casos extremos, que impedem um cotidiano saudável.

Os sintomas do TDAH são divididos em dois grupos – desatenção e hiperatividade-impulsividade. Algumas crianças manifestam mais a desatenção, outras a hiperatividade-impulsividade. Porém, a maioria diagnosticada com TDAH terá uma combinação de ambos.

Veja os comportamentos mais comuns na escola.

Sintomas de desatenção:

– Incapacidade de observar detalhes, comete erros por falta de cuidado

– Facilmente distraída ou levada por estímulos externos

– Dificuldade de seguir instruções

– Parece não estar escutando mesmo quando falam diretamente com ela

– Problemas para organizar tarefas e materiais

– Dificuldade em concluir lições na escola ou em casa

– Evita tarefas que exijam concentração e esforço mental

– Perde lições de casa, livros, roupas e acessórios

 

Sintomas de hiperatividade-impulsividade:

– Balança pernas e bate dedos ou mãos constantemente

– Corre e pula quando não é o momento

– Dificuldade de brincar quietinha

– Extrema impaciência, não consegue aguardar sua vez

– Fala excessivamente

– Responde antes das perguntas serem concluídas

– Interrompe e invade conversas e atividades alheias

Mantenha em mente que nem toda criança com estes sintomas tem TDAH. Crianças diagnosticadas com TDAH demonstram estas questões tão frequentemente, que elas geram dificuldades graves em pelo menos dois ambientes, como casa e escola. Ainda, os problemas devem prosseguir por ao menos seis meses.

A idade importa

Também observe que, ao considerar o comportamento do seu filho, você deve compará-lo às crianças da mesma idade. Muitas vezes, dentro de uma sala de aula, você encontra diferentes idades que podem variar em meses ou até mesmo anos. Nesta fase, isso pode representar grandes diferenças comportamentais.

Um estudo2 concluiu que as crianças mais novas na sala de aula tendem a ser equivocadamente diagnosticadas com TDAH. A pesquisa da Universidade de Michigan3 descobriu que, entre crianças em idade pré-escolar, as mais novas tinham 60% a mais de chance de serem diagnosticadas com o transtorno do que seus colegas mais velhos.

Lembre-se: meninas são diferentes

Não poderíamos finalizar sem enfatizar que o transtorno se manifesta de formas diferentes nos meninos e nas meninas. Enquanto o estereótipo do TDAH é a criança que grita e não para quieta, as meninas podem ter sintomas mais leves. Muitas delas, inclusive, têm apenas o tipo desatento de TDAH – e acabam sendo categorizadas como “sonhadoras” ou “distantes”.

Mas, um dos grandes motivos pelos quais as meninas acabam sendo esquecidas nesta questão é porque tendem a se culpar por suas fraquezas, tentando esconder sua vergonha e dificuldade. Enquanto amadurecem, a consciência de que elas terão que lutar muito mais para conquistar as mesmas coisas que suas amigas pode ser muito prejudicial para a autoestima. Pais de meninas devem ficar atentos a este fato.

Fontes:

1 WHAT’S ADHD (AND WHAT’S NOT) IN THE CLASSROOM. CHILD MIND INSTITUTE. Disponível em: https://childmind.org/article/whats-adhd-and-whats-not-in-the-classroom/ . Acesso em: 31 de outubro de 2018.

2 NEARLY 1 MILLION CHILDREN POTENTIALLY MISDIAGNOSED WITH ADHD. MICHIGAN STATE UNIVERSITY. Disponível em: https://msutoday.msu.edu/news/2010/nearly-1-million-children-potentially-misdiagnosed-with-adhd/ . Acesso em: 31 de outubro de 2018.

3 ELDER T. 2010. The Importance of Relative Standards in ADHD Diagnoses: Evidence Based on Exact Birth Dates. Journal of Health Economics. Volume 29, Issue 5, September 2010, Pages 641-656. doi: <https://doi.org/10.1016/j.jhealeco.2010.06.003>. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0167629610000755 . Acesso em: 31 de outubro de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top