skip to Main Content
focus_logo_azul

Desenvolvido por

PRODAH - Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade - UFRGS

COMO DIFERENCIAR O TDAH DO TRANSTORNO DE HUMOR BIPOLAR?

COMO DIFERENCIAR O TDAH DO TRANSTORNO DE HUMOR BIPOLAR?

Muitas vezes o diagnóstico diferencial do TDAH com o Transtorno de Humor Bipolar (THB) pode ser um desafio, sobretudo porque muitos dos sintomas presentes podem ser similares nos dois transtornos. Separamos algumas questões que podem ajudar na diferenciação:

  • Sintomas de TDAH estão presentes?

Muitos dos sintomas do TDAH também estão presentes nos episódios de mania ou hipomania do THB, como por exemplo: distração, hiperatividade, impulsividade, pensamento acelerado, taquilalia (fala excessiva) e irritabilidade. Apenas 3 sintomas de um episódio de mania não estão presentes no TDAH:  humor expansivo, ideias de grandiosidade e diminuição da necessidade de sono. Por conta disso, cerca de 60-90% das crianças com THB também são diagnosticadas com TDAH

  • Como os sintomas de TDAH mudam com o tempo?

Muitos pacientes com THB abrem o quadro com sintomas de TDAH antes de receberem o diagnóstico. A evolução dos sintomas conforme o paciente adentra a vida adulta pode fornecer algumas pistas. No THB os sintomas cognitivos pioram com a idade e conforme o número de episódios de mania. No TDAH, os sintomas tendem a melhorar ou até mesmo se resolverem na idade adulta.

  • Os sintomas cognitivos são estáveis ou cíclicos?

Frequentemente se fala que os sintomas cognitivos são mais persistentes e estáveis no TDAH e que no THB ele estão presente apenas nos episódios de mania. Contudo, novas pesquisas têm apontado que os problemas cognitivos tendem a persistir além dos episódios de mania em pacientes com THB.

  • Que tipo de problemas cognitivos estão presentes?

O THB e o TDAH são ambos associados a problemas na memória de trabalho, na fluência verbal e na função executiva. Contudo, os problemas na função executiva são mais acentuados no THB, como por exemplo dificuldade no planejamento de tarefas complexas e na filtragem de informações. Por outro lado, o TDAH parece afetar mais a memória de trabalho e a fluência verbal. Apesar disso, ainda faltam testes de habilidades cognitivas que diferenciem adequadamente o THB do TDAH.

  • Qual a frequência e intensidade dos episódios depressivos?

Os episódios depressivos são frequentes tanto no TDAH como no THB, porém tendem a ser mais frequentes e severos no THB. Além disso a presença de sintomas somáticos (sintomas físicos associados) tende a estar mais presente no THB (Ex: perda de apetite, alteração no padrão de sono).

A labilidade emocional parece estar presente de forma semelhante em ambos os transtornos.

  • Existe história familiar de TDAH ou de THB?

Tanto o TDAH como o THB têm uma base genética forte, portanto a história familiar pode ajudar a apontar para um diagnóstico ou outro.

  • Qual a resposta aos estimulantes?

Deve-se avaliar se o estimulante melhora a organização, o estado mental e o funcionamento geral do paciente. O estimulante tende a ter um efeito calmante no TDAH, diminuindo a inquietude física e mental e diminuindo a irritabilidade e impaciência. Se o estimulante apenas aumenta a energia, o humor e a motivação, então o diagnostico provavelmente não é de TDAH e os benefícios tendem a desaparecer após alguns meses de uso. Deve-se pensar também em outro diagnóstico ao invés de TDAH se a estimulante falha com frequência ou só funciona em casos de emergência.

Como vimos, diferenciar entre os dois transtornos não é tarefa fácil. Essas perguntas podem ajudar no direcionamento, mas é importante uma avaliação detalhada e contínua de um profissional capacitado para que o correto diagnóstico seja feito.

Artigo adaptado e traduzido de: https://www.psychiatrictimes.com/view/7-questions-that-separate-adhd-from-bipolar-disorder

 

Compartilhe com seus amigos!
TDAH E TRANSTORNO DE HUMOR BIPOLAR

TDAH E TRANSTORNO DE HUMOR BIPOLAR

O diagnóstico diferencial de TDAH com o Transtorno de Humor Bipolar (THB) se apresenta como um desafio em algumas situações. Ambos os transtornos apresentam algumas características em comum, como a impulsividade, e a hipomania do THB pode ser confundida com a hiperatividade do TDAH. Além disso, os dois transtornos podem estar presentes em um mesmo paciente e o TDAH poderia, inclusive, ser fator de risco para o desenvolvimento da bipolaridade.

Um estudo recente demonstrou que crianças com diagnostico de TDAH tinham um risco 10 vezes maior de serem diagnosticadas com THB no futuro comparado com crianças sem diagnóstico de TDAH. Ainda, a comorbidade dos dois transtornos pode envolver uma via genética comum. Um outro estudo sueco que avaliou 13532 pares de gêmeos aos 9 e 12 anos e, após, aos 15 e 18 anos encontrou que fatores genéticos associados a hipomania explicavam 25% a 42% da chance da presença de sintomas de hiperatividade e impulsividade no TDAH.

Uma outra pesquisa demonstrou também que a apresentação comorbida do THB e do TDAH estava associada a um curso mais grave e a um maior risco de tentativas de suicídio do que qualquer apresentação dos transtornos isolada.

Existe controvérsia quanto ao uso de estimulantes para o tratamento do TDAH em pacientes com THB. Um estudo de 2016 demonstrou que o uso de metilfenidato para tratamento do TDAH em pacientes com THB que não estavam fazendo uso de estabilizadores do humor aumentou em 7 vezes o risco de virada maníaca dentro de 3 a 6 meses. Entretanto, o uso de metilfenidato em pacientes em uso de estabilizadores de humor foi associado a diminuição de episódios maníacos. Ou seja, o uso de estimulantes parece ser seguro em pacientes com THB que estejam devidamente medicados para o tratamento do THB.

Sendo assim, é importante avaliar a presença de THB em pacientes com diagnóstico de TDAH, uma vez que pode ser um diagnóstico diferencial e o tratamento do TDAH pode afetar o curso do THB. Apesar das semelhanças, a hiperatividade no TDAH tende a ser uma caraterística mais constante do funcionamento do indivíduo, ao passo que, no THB, a hiperatividade tende a se apresentar apenas nos episódios de mania.

Artigo adaptado e traduzido de: https://www.psychiatrictimes.com/view/adhd-bipolar-genetics-diagnosis-treatment

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top