skip to Main Content
focus_logo_azul

Desenvolvido por

PRODAH - Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade - UFRGS

EXERCÍCIO FÍSICO E TDAH

Muito se fala sobre a prática de exercício físico para melhorar os sintomas de ansiedade e depressão, mas você já se perguntou se o exercício físico pode melhorar o TDAH? A resposta é sim! Neste vídeo o Prof. Eduardo Schuch nos explica como deve ser o exercício para que hajam efeitos benéficos no TDAH e outros sintomas. Embora a prática possa ser feita individualmente, lembre-se sempre de procurar um profissional especializado se precisar de ajuda em sua rotina de exercício. E você, tem o hábito de se exercitar? Conta para gente como são suas atividades físicas e se você nota melhora nos sintomas com o exercício.

Assista ao vídeo através do link: https://youtu.be/tkgO_ixRN4I

Aproveite e siga nosso canal no Youtube!

Compartilhe com seus amigos!

AUTOESTIMA E FEEDBACK | PSICOPEDAGOGIA E TDAH #7

Neste sétimo vídeo da série “Psicopedagogia e TDAH”, as psicopedagogas Évelin e Camila falam sobre Autoestima e Feedback, quais dificuldades podem existir e como estimular e ajudar o aluno com TDAH na organização nas atividades escolares. – Se você é PROFESSOR pode se beneficiar muito usando essas técnicas em sala de aula. – Se você é PAI/MÃE/CUIDADOR de uma criança ou adolescente com TDAH, poderá usar as informações para auxiliá-lo a entender suas dificuldades e usar essas técnicas em casa. – E se você é uma pessoa diagnosticada com TDAH, você também pode adaptar as dicas para o seu dia a dia nos estudos.

Se inscreva no nosso canal do Youtube para acompanhar outras dicas e continuar recebendo informação sobre TDAH!

Fazem parte dessa série 8 vídeos:

1.  Apresentação – TDAH na Escola

2. Papel dos professores no TDAH

3. Leitura

4. Escrita

5. Matemática

6. Organização em sala de aula

7. Autoestima e feedback

8. Dicas de estudo para alunos com TDAH

Assista ao sétimo vídeo da série através do link: https://youtu.be/j2nY2bt0sRM

Compartilhe com seus amigos!

ORGANIZAÇÃO EM SALA DE AULA | PSICOPEDAGOGIA E TDAH #6

Neste sexto vídeo da série “Psicopedagogia e TDAH”, as psicopedagogas Évelin e Camila falam sobre Organização em Sala de Aula, quais dificuldades podem existir e como estimular e ajudar o aluno com TDAH na organização nas atividades escolares. – Se você é PROFESSOR pode se beneficiar muito usando essas técnicas em sala de aula. – Se você é PAI/MÃE/CUIDADOR de uma criança ou adolescente com TDAH, poderá usar as informações para auxiliá-lo a entender suas dificuldades e usar essas técnicas em casa. – E se você é uma pessoa diagnosticada com TDAH, você também pode adaptar as dicas para o seu dia a dia nos estudos.

Fazem parte dessa série 8 vídeos:

1.  Apresentação – TDAH na Escola

2. Papel dos professores no TDAH

3. Leitura

4. Escrita

5. Matemática

6. Organização em sala de aula

7. Autoestima e feedback

8. Dicas de estudo para alunos com TDAH

Assista ao sexto vídeo da série através do link: https://youtu.be/PJknefoPZhU

Compartilhe com seus amigos!

HABILIDADES DE MATEMÁTICA | PSICOPEDAGOGIA E TDAH #5

Neste quinto vídeo da série “Psicopedagogia e TDAH”, as psicopedagogas Évelin e Camila falam sobre Habilidades de Matemática no TDAH, quais dificuldades podem existir e como estimular e ajudar o aluno com TDAH na escrita. – Se você é PROFESSOR pode se beneficiar muito usando essas técnicas em sala de aula. – Se você é PAI/MÃE/CUIDADOR de uma criança ou adolescente com TDAH, poderá usar as informações para auxiliá-lo a entender suas dificuldades e usar essas técnicas em casa. – E se você é uma pessoa diagnosticada com TDAH, você também pode adaptar as dicas para o seu dia a dia nos estudos.

Fazem parte dessa série 8 vídeos:

1.  Apresentação – TDAH na Escola

2. Papel dos professores no TDAH

3. Leitura

4. Escrita

5. Matemática

6. Organização em sala de aula

7. Autoestima e feedback

8. Dicas de estudo para alunos com TDAH

Assista ao quinto vídeo da série através do link: https://youtu.be/yjt0afvHtL0

Compartilhe com seus amigos!
NÍVEIS BAIXOS DE HORMONIOS TIREOIDIANOS DURANTE O PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ PODEM INTERFERIR NO DESENVOLVIMENTO CEREBRAL FETAL

NÍVEIS BAIXOS DE HORMONIOS TIREOIDIANOS DURANTE O PRIMEIRO TRIMESTRE DA GRAVIDEZ PODEM INTERFERIR NO DESENVOLVIMENTO CEREBRAL FETAL

Hormônios produzidos pela glândula tireoide influenciam sabidamente no crescimento fetal. Por conta disso, pesquisadores suspeitaram que prejuízos na produção desses hormônios, notadamente no hipotireoidismo, poderiam contribuir para o desenvolvimento do TDAH.

Um estudo publicado no American Journal of Perinatology demonstrou que crianças cujas mães foram diagnosticas com hipotireoidismo imediatamente antes ou durante os estágios iniciais da gravidez eram 24% mais propensas a desenvolver TDAH que crianças cujas mães não tiveram esse diagnóstico. Esse risco era ainda maior para meninos nascidos de mães com hipotireoidismo do que para meninas.

“Esses achados elucidam que a saúde da tireoide provavelmente tem um papel muito maior no desenvolvimento cerebral fetal e em desordens do comportamento como o TDAH do que se imaginava anteriormente”, diz o autor principal Morgan Peltier, PhD, professor associado do Departamento de Obstetrícia Clínica, Ginecologia e Medicina Reprodutiva da NYU Winthrop Hospital.

Entre os achados do estudo, após o segundo trimestre, o hipotireoidismo materno tinha pouco efeito na saúde do feto. Uma explicação possível, segundo Peltier, é a de que após esse período, o feto já tenha iniciado a produção de seus próprios hormônios tireoidianos e seja menos vulnerável as deficiências hormonais maternas.

O estudo acompanhou 329,157 crianças do nascimento até a idade de 17 anos, todas nascidas em hospitais da Kaiser Permanente no sul da Califórnia. Ao contrário de estudos prévios, segundo os autores, ao observar as crianças por quase duas décadas, isso permitiu que os pesquisadores pudessem identificar melhor os casos de TDAH conforme as crianças cresciam e eram diagnosticadas.

Os pesquisadores analisaram os dados médicos das crianças e coletaram informações chave sobre suas mães incluindo a idade durante a gravidez, etnia e renda familiar. Todas as crianças foram avaliadas quando ao TDAH utilizando os mesmos critérios, o que evitou o surgimento de inconsistências em como os casos de TDAH foram identificados.

Ao todo 16.696 crianças foram diagnosticas com TDAH. Crianças hispânicas cujas mães tiveram hipotireoidismo na gravidez apresentaram o maior risco de desenvolver TDAH, de 45%.

Peltier afirma que os resultados do estudo são fortes o suficiente para indicar a monitorização dos níveis de hormônios tireoidianos em mulheres gravidas. Além disso, ele aponta que crianças cujas mãe tiveram hipotireoidismo na gravidez poderiam se beneficiar do rastreio precoce de TDAH.

Curadoria de conteúdo do PRODAH: Vale lembrar que evidência de associação não indica, mesmo em estudo longitudinal, causalidade. Um terceiro fator pode estar relacionado tanto com hipotiroidismo materno no primeiro trimestre de gravidez e com TDAH na criança. Por exemplo, TDAH na mãe que não foi avaliado no estudo!

Artigo adaptado e traduzido de: https://www.sciencedaily.com/releases/2020/10/201021085107.htm

Referência: Morgan R. Peltier, Michael J. Fassett, Vicki Y. Chiu, Darios Getahun. Maternal Hypothyroidism Increases the Risk of Attention-Deficit Hyperactivity Disorder in the OffspringAmerican Journal of Perinatology, 2020 DOI: 10.1055/s-0040-1717073

 

Compartilhe com seus amigos!

HABILIDADES DE ESCRITA | PSICOPEDAGOGIA E TDAH #4

Neste quarto vídeo da série “Psicopedagogia e TDAH”, as psicopedagogas Évelin e Camila falam sobre as Habilidades de Escrita no TDAH, quais dificuldades podem existir e como estimular e ajudar o aluno com TDAH na escrita. – Se você é PROFESSOR pode se beneficiar muito usando essas técnicas em sala de aula. – Se você é PAI/MÃE/CUIDADOR de uma criança ou adolescente com TDAH, poderá usar as informações para auxiliá-lo a entender suas dificuldades e usar essas técnicas em casa. – E se você é uma pessoa diagnosticada com TDAH, você também pode adaptar as dicas para o seu dia a dia nos estudos. Se inscreva no canal para acompanhar outras dicas e continuar recebendo informação sobre TDAH!

Fazem parte dessa série 8 vídeos:

1.  Apresentação – TDAH na Escola

2. Papel dos professores no TDAH

3. Leitura

4. Escrita

5. Matemática

6. Organização em sala de aula

7. Autoestima e feedback

8. Dicas de estudo para alunos com TDAH

Assista ao quarto vídeo da série através do link: https://youtu.be/RnCYxjF0ruU

 

Compartilhe com seus amigos!
TERAPIA OCUPACIONAL NO TDAH

TERAPIA OCUPACIONAL NO TDAH

O TDAH é um transtorno que pode afetar aspectos da vida do indivíduo em múltiplas áreas. Por ser tão diverso em sua manifestação, o tratamento envolve abordagens individualizadas.

Uma abordagem que pode ser adicionada ao tratamento convencional é a terapia ocupacional.

“Terapeutas ocupacionais são bons membros no time” diz Cara Koscinski, terapeuta ocupacional infantil e autora de 6 livros sobre terapia ocupacional para crianças e adultos jovens.

A terapia ocupacional pode tratar de déficits físicos, sociais, educacionais e organizacionais com um plano focado nas habilidades, necessidades e atividades do indivíduo. Ela foca nas habilidades que cada pessoa necessita para funcionar independentemente na vida diária. A primeira tarefa de um terapeuta ocupacional será descobrir como o TDAH impacta você ( ou seu filho) no trabalho, em casa, na escola, nas relações e em outras áreas.

Aqui vão algumas áreas em que o terapeuta ocupacional pode ser útil no tratamento do TDAH:

Gerenciamento de tempo

O tdah pode dificultar na habilidade de criar e executar o planejamento de uma atividade, terminar tarefas em ordem, completar tarefas dentro do prazo ou saber calcular o tempo certo a ser dedicado a uma atividade.

A terapia ocupacional pode melhorar o processamento de tempo e as habilidades de gerenciamento de tempo na vida diária.

Em um estudo de 2018, um grupo de estudantes entre 9-15 anos de idade trabalharam com um terapeuta ocupacional por 12 semanas para melhorar a sua consciência do manejo de tempo e de atividades e um grupo controle não realizou esse trabalho. No final da intervenção, estudantes que trabalharam com um terapeuta ocupacional mostraram uma melhora significativa na sua consciência do tempo, na habilidade de se orientarem no tempo e na habilidade de manejar o tempo efetivamente durante tarefas diárias.

Habilidades de Organização

Outra área em que o TDAH pode impactar negativamente é na habilidade de organização.

“Terapeutas ocupacionais são especialistas na análise de atividades”, diz Koscinski. “Isso significa observar cada atividade e quebra-la em pequenos passos e fatores de performance ou habilidades que a criança precisa para ter sucesso”.

Após quebrar um projeto em passos, um terapeuta ocupacional pode ajudar na organização de materiais, no desenvolvimento de sistemas e na criação de pistas visuais para que o indivíduo consiga lembrar e seguir os passos necessários.

“Informações visuais são muito importante para crianças com TDAH”, diz Koscinski.

Um terapeuta ocupacional também pode ser útil para ajudar o paciente nas habilidades executivas e sociais. Por exemplo, um terapeuta ocupacional pode ajudar a descobrir o porquê de uma criança estar se comportando mal na sala de aula: ela está se sentando longe do professor? O ambiente da sala de aula é muito estimulante? O estudante está seguindo as orientações do plano de estudos ou será que este plano está adequado?

Por último, terapeutas ocupacionais são especialmente bons em treinar pessoas com TDAH a usar utensílios que possam as ajudar a se adaptar melhor ao dia a dia. Koscinski cita vários objetos que podem tornar a vida mais fácil para crianças que precisam gastar energia ou relaxar de alguma forma: bolas de yoga, mini trampolins, balanços, hoverboard, etc.

Artigo adaptado e traduzido de: https://www.healthline.com/health/adhd/can-occupational-therapy-help-people-who-have-adhd

Compartilhe com seus amigos!

HABILIDADES DE LEITURA | PSICOPEDAGOGIA E TDAH #3

Neste terceiro vídeo da série “Psicopedagogia e TDAH”, as psicopedagogas Évelin e Camila falam sobre as habilidades de leitura do TDAH, quais dificuldades podem existir e como estimular e ajudar o aluno com TDAH na leitura. Se você é PROFESSOR pode se beneficiar muito usando essas técnicas em sala de aula. Se você é PAI/MÃE/CUIDADOR de uma criança ou adolescente com TDAH, poderá usar as informações para auxiliá-lo a entender suas dificuldades e usar essas técnicas em casa. E se você é uma pessoa diagnosticada com TDAH, você também pode adaptar as dicas para o seu dia a dia nos estudos. Se inscreva no nosso canal no Youtube para acompanhar outras dicas e continuar recebendo informação sobre TDAH!

A série “Psicopedagogia e TDAH” é composta por 8 vídeos publicados semanalmente no nosso canal do Youtube com os seguintes temas:

1.  Apresentação – TDAH na Escola

2. Papel dos professores no TDAH

3. Leitura

4. Escrita

5. Matemática

6. Organização em sala de aula

7. Autoestima e feedback

8. Dicas de estudo para alunos com TDAH

Assista ao  terceiro vídeo da série através do link: https://youtu.be/zYNyuDrEdv4

 

Compartilhe com seus amigos!

O QUE OS PROFESSORES PODEM FAZER QUANDO SUSPEITAM DE TDAH | PSICOPEDAGOGIA E TDAH #2

No segundo episódio da série FOCUS: Psicopedagogia e TDAH, as psicopedagogas Évelin e Camila falam sobre o papel dos professores e professoras no processo diagnóstico do TDAH, dando dicas práticas de como, quando e o que observar no seu aluno com suspeita de TDAH.

A série será composta por 8 vídeos publicados semanalmente no nosso canal do Youtube com os seguintes temas:

1.  Apresentação – TDAH na Escola

2. Papel dos professores no TDAH

3. Leitura

4. Escrita

5. Matemática

6. Organização em sala de aula

7. Autoestima e feedback

8. Dicas de estudo para alunos com TDAH

Assista ao  vídeo da série através do link: https://youtu.be/xRcrwrFxWZU

 

Compartilhe com seus amigos!
NOVE SINAIS DE TDAH EM ADULTOS

NOVE SINAIS DE TDAH EM ADULTOS

Conviver com o TDAH não diagnosticado pode trazer algumas desvantagens. Por um lado, você pode acabar se sentindo subestimado quanto a suas habilidades e pode até mesmo se sentir desmotivado por conta das dificuldades do TDAH. Entender como as suas dificuldades funcionam pode ajudar você a estabelecer estratégias que sejam verdadeiramente efetivas ao mesmo tempo em que pode servir de incentivo para que você use suas aptidões ao seu favor.

Judy Katz, terapeuta ocupacional em Chicago que trabalha com crianças com TDAH e que também foi diagnosticada com TDAH, separou alguns sinais que podem estar presentes no TDAH na vida adulta:

1) Você se distrai nos próprios pensamentos

É comum para pessoas com TDAH se distraírem e perderem parte de informações em conversas, programas de TV ou qualquer outra forma mais longa de conteúdo. Uma pequena distração é suficiente para fazer com que você se perca em uma cadeia de pensamentos. Uma dica é: gravar a conversa sempre que for participar de uma reunião importante.

2) Você se distrai com o ambiente

É possível que você se perca durante caminhadas ou dirigindo para o trabalho, especialmente se houver alguma distração no caminho. De repente você percebe e já passou duas quadras do ponto onde deveria dobrar…

3) Você apresenta hiperatividade motora

Isso significa que você tem dificuldade em se manter parado. Pode significar por exemplo que você precise caminhar ou utilizar as mãos de alguma forma, como através de um spinner.

4)  Você procura estímulos sensório-orais

Você pode sentir a necessidade de mascar chiclete, beber café, ou morder a pontinha do lápis para se manter calmo ou focado.

5) Você consegue prender a atenção por um curto período de tempo

Você perde o foco, seus olhos vagam para outro lugar ou você se perde em pensamentos.

6) Você tem dificuldade de se organizar com tarefas diárias

Você esquece ou perde objetos com frequência como chaves, guarda-chuvas ou cartões. Você tem dificuldade em organizar tarefas diárias como lavar a roupa, manter a casa limpa, marcar consultas ao médico…

7) Você tem dificuldade no manejo do tempo

Planejar com antecedência ou calcular o tempo necessário para tomar banho, se vestir e chegar a tempo é um grande desafio para você!

8) Você tem ansiedade

Saber que os outros dependem de você para manejar o seu tempo e o deles pode ser uma grande fonte de ansiedade. Você fica ansioso sabendo de suas dificuldades com medo de que elas se manifestem, como por exemplo, a possibilidade de esquecer um compromisso importante.

9) Você tem dificuldade em iniciar tarefas e completa-las

Você perde muito tempo procrastinando e por vezes acaba se envolvendo em múltiplos projetos ao mesmo tempo, muitas vezes não terminando nenhum deles.

Se você tiver receio de que tem TDAH, tente conversar com o seu médico ou procure algum profissional especializado. TDAH tem tratamento e isso pode trazer inúmeros benefícios em vários aspectos da sua vida social e profissional!

Artigo adaptado e traduzido de: https://www.purewow.com/wellness/signs-of-adhd-in-adults

 

 

 

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top