skip to Main Content
focus_logo_azul

Desenvolvido por

PRODAH - Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade - UFRGS

DIFICULDADES NO TDAH: CÉREBRO E FUNÇÕES EXECUTIVAS

Nós usamos várias funções mentais, ou funções cognitivas, para conseguir fazer as atividades de nossa vida, como atenção, memória, inteligência. Uma das funções mais importantes são as funções executivas, que usamos para atividades como pegar o ônibus até criar, desenvolver e finalizar um projeto complexo no trabalho. Essas funções tem um papel fundamental nas dificuldades observadas no TDAH. Para entender mais sobre as funções executivas, e começar a compreender como elas explicam os déficits no TDAH, assista ao nosso vídeo  através do linkhttps://youtu.be/v1FChkKIs7w

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!

TDAH EM MULHERES

Vamos para mais um vídeo sobre TDAH? Nesse vídeo falaremos sobre um tópico muito importante: o TDAH em mulheres e meninas. Será que existem diferenças nos sintomas? Que gênero recebe mais encaminhamentos e diagnósticos na infância? E será que o tratamento é diferente de acordo com o gênero? Para descobrir mais sobre isso assista ao nosso vídeo através do link: https://youtu.be/TnJUFfcZ7RI

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!
MEDICAMENTOS NÃO-ESTIMULANTES NO TRATAMENTO DO TDAH E COMO ELES FUNCIONAM:

MEDICAMENTOS NÃO-ESTIMULANTES NO TRATAMENTO DO TDAH E COMO ELES FUNCIONAM:

Há dois principais tipos de medicação para o TDAH:

  • Estimulantes: são a primeira linha do tratamento para pessoas com TDAH e incluem medicações como ritalina®, concerta® e venvanse®.
  • Não-estimulantes: são frequentemente prescritos quando alguém não responde aos estimulantes, tem alguma história de abuso de substancias ou tem efeitos adversos intoleráveis aos estimulantes.

Nesse texto, vamos falar um pouco sobre medicamentos não estimulantes:

Pesquisas mostram que cerca de 30 a 50% das crianças e adultos com TDAH descontinuam os estimulantes devido aos efeitos adversos ou a falta de resposta.

“Ainda que os estimulantes sejam mais eficazes e funcionem melhor, eles são mais propensos a causar adição e efeitos adversos. Não-estimulates, por outro lado, não são tão eficazes mas são menos propensos a causar efeitos adversos e não tem nenhum potencial aditivo” Diz Ravi N. Shah, MD, professor assistente de psiquiatria no Columbia University Irving Medical Center.

Estimulantes e não estimulantes parecem ter mecanismos de ação diferentes, embora a exata maneira de ação desses medicamentos no TDAH ainda não seja conhecida.

Atualmente existem três medicamentos não-estimulantes aprovados pelo FDA para uso no TDAH:

Atomoxetina

Foi o primeiro nao-estimulante a ser aprovado para o tratamento do TDAH.

Ainda não está claro como a atomoxetina funciona, porém pesquisadores acreditam que ela inibe a reabsorção de norepinefrina na fenda sináptica, um neurotransmissor que aumenta o foco, aumentando a sua concentração no cérebro.

Uma revisão de cinco estudos clínicos demonstrou que a atomoxetina é eficaz no tratamento do TDAH apesar de ser menos eficiente que os estimulantes. De acordo com a American Academy of Child and Adolescent Psychiatry (AACAP), a taxa de resposta a atomoxetina é de apenas 50%.

Alguns dos seus efeitos adversos incluem fatiga e indigestão. Não está disponível no Brasil, mas pode ser solicitada via importação mediante autorização da Anvisa.

Clonidina

A clonidina é uma medicação que foi orginalmente produzida para tratar a hipertensão arterial. O mecanismo exato pelo qual a clonidina age na redução dos sintomas do TDAH é ainda desconhecido, mas ela parece agir através da ativação pós-sinaptica dos receptores de norepinefrina. Porém, foi demonstrado que ela é capaz de melhorar os sintomas de desatenção, impulsividade e hiperatividade em pacientes com TDAH.

Dentre os efeitos adversos, destacam-se: náusea, sonolência  e diminuição da pressão arterial. Ela está disponível no Brasil.

Guanfacina

Guanfacina, como a clonidina, também foi originalmente desenvolvida para tratar a hipertensão arterial. Ela também age através da ativação pós-sinaptica dos receptores de norepinefrina, melhorando a atividade do córtex pré-frontal. Isso ajuda na regulação da atenção e no controle dos impulsos em pacientes com TDAH.

A guanfacina é atualmente aprovada apenas para o tratamento de crianças e adolescentes com TDAH com idades entre 6-17. Alguns dos efeitos adversos relatados são náusea, cansaço e diminuição da pressão arterial. Não está disponível no Brasil, mas pode ser solicitada via importação mediante autorização da Anvisa.

Por que usar não estimulantes?

Medicamentos não estimulantes são uma boa opção de segunda linha para o tratamento do TDAH, especialmente para pacientes que experenciaram problemas com o uso de estimulantes.

“ Os guidelines sugerem que você inicie com os estimulantes, mas há um papel para os não-estimulantes em situações específicas”, diz Shah. “Por exemplo, para pessoas que tem uma história de adição ou de efeitos adversos aos estimulantes. Existem também pessoas que apenas não gostam da ideia de tomar um medicamento controlado, e não-estimulantes são uma boa opção nesse cenário também”.

Artigo adaptado e traduzido de: https://www.insider.com/non-stimulant-adhd-medication

Compartilhe com seus amigos!
TDAH E MANEJO DA RAIVA

TDAH E MANEJO DA RAIVA

Um dos sintomas não muito conhecido do TDAH e que também pode estar presente é a dificuldade na regulação emocional e manejo da raiva. Nas crianças isso pode se manifestar na forma de birras e irritabilidade enquanto nos adultos, além da irritabilidade, pode se manifestar como explosões de raiva. 

Apesar dos estimulantes ajudarem nos sintomas típicos do TDAH como desatenção e hiperatividade, eles não parecem surtir o mesmo tamanho de efeito na  regulação emocional. Então, o que pode ser feito? 

No caso de crianças com TDAH, a terapia pode ser útil. Na terapia, a criança pode aprender habilidades que a permitam fazer uma releitura das situações além de regular suas próprias emoções de forma adequada. Além disso, os próprios pais podem receber aconselhamento profissional para que eles aprendam como lidar nas situações em que a criança manifesta descontrole da raiva.

É importante descartar, contudo, outros transtornos comórbidos que possam estar contribuindo para a irritabilidade e ataques de raiva. Um psiquiatra experiente pode, ainda, ajustar a medicação do TDAH e receitar outros medicamentos caso necessário. 

No caso de adultos, a Terapia Cognitivo-comportamental (TCC) pode ser uma boa opção. Na TCC, o paciente pode desenvolver habilidades e mecanismos para usar nas diferentes situações e assim conseguir lidar com os momentos de estresse. A meditação e o mindfulness, atualmente em moda, também são alternativas possíveis. 

Por fim, vale lembrar que um estilo de vida saudável, com alimentação e sono adequados, atividade física regular além de momentos de lazer e entretenimento são importantes para o bem estar e podem contribuir de forma positiva no estado emocional. 

Artigo adaptado e traduzido de: ttps://www.psychologytoday.com/intl/blog/helping-kids-through-adhd/202008/adhd-anger-and-emotional-regulation

Compartilhe com seus amigos!

COMORBIDADES NO TDAH

Nesse vídeo o Psiquiatra e Pesquisador do ProDAH – Vitor Breda fala sobre Comorbidades e a importância delas para o paciente com TDAH. Falou também sobre Comorbidade em Crianças e Adultos. Para entender mais sobre esse assunto, assista ao vídeo através do link: https://youtu.be/UVl3_UenzZo

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!
DICAS PARA MELHORAR A PRODUTIVIDADE (PARTE 2)

DICAS PARA MELHORAR A PRODUTIVIDADE (PARTE 2)

No último texto, selecionamos 3 dicas que podem ajudar você a se tornar mais produtivo. Teste algumas delas e tente aplicar no seu dia a dia aquelas que funcionarem melhor para você. Lembre-se de não se frustrar caso você não se adapte a alguma delas, pois não existe receita de bolo nem regras!

Hoje traremos mais outras estratégias que podem ser uteis:

Regra dos 5 minutos.

Sabe aquela tarefa que você vem procrastinando a um tempo? Aquela que só de pensar embrulha seu estômago? Talvez essa dica ajude você.

Programe-se para gastar apenas 5 minutos na tarefa antes de começa-la. Você pensa: “vou me dedicar apenas 5 minutos” e é isso. Se após esse tempo você se sentir motivado a continuar tudo bem, do contrário se passado esse tempo você quiser parar tudo bem também!

Separe as tarefas mais importantes

Eu sei que você tem várias coisas para fazer. Porém quando você planeja sua lista de atividades, você tem que separar aquelas que são mais importantes e deve fazer elas primeiro. É mais fácil se sentir motivado no início e se você deixar as coisas importantes para o final, vai estar sem energia para fazer aquilo que mais precisava ser feito. 

Alarmes e calendário

Uma dica para ajudar você a não esquecer compromissos é anotar em um calendário os compromissos fixos com antecedência. No momento em que você já tem estabelecida a data da reunião, anote em um calendário e programe um alarme no seu celular para o dia. Não deixe para fazer isso depois, porque você pode esquecer e acabar tornando mais difícil para se organizar. Ter um esquema do mês além das listas de tarefas diárias ajuda você a não esquecer prazos e compromissos com data marcada. O alarme no celular pode ser também um ótimo lembrete.

Artigo adaptado e traduzido de: https://www.healthline.com/health/mental-health/7-adhd-inspired-hacks-for-better-concentration#5.-MIT:-Most-important-tasks

Compartilhe com seus amigos!

COMO O TDAH AFETA A SUA VIDA?

Você já se sentiu afetado pelos seus sintomas de TDAH? Onde isso aconteceu e que relacionamentos isso afetou? No vídeo de hoje falamos sobre prejuízos.
Prejuízos são consequências negativas do transtorno, ou seja, aquelas dificuldades do dia a dia que podem ser geradas em razão do TDAH. Para entender mais sobre isso e o que as pesquisas têm mostrado sobre o tema assista o vídeo através do link: https://youtu.be/hgiUOLvj7xY

Confira mais vídeos no nosso canal do Youtube!

Compartilhe com seus amigos!
DICAS PARA MELHORAR A PRODUTIVIDADE (PARTE 1)

DICAS PARA MELHORAR A PRODUTIVIDADE (PARTE 1)

Quem TDAH certamente já sofreu com a procrastinação. Não conseguir iniciar as tarefas e deixar tudo para última hora é uma dificuldade bem conhecida. Porém existem estratégias que podem ser utilizadas para ajudar você a driblar esse problema. Separamos algumas que podem ajudar você:

1- Bullet Journal
Se você tem dificuldade para se adaptar aos planners comprados prontos, essa dica é para você.

Os planners comprados tem a limitação de muitas vezes não serem exatamente aquilo que procuramos ou precisamos. O problema é que tentar fazer o seu próprio planner pode ser uma tarefa difícil.
Sendo assim, o bullet Journal é uma forma de contornar esse problema. Ele é um método de organização que você pode aplicar em qualquer caderno. Ele ajuda você a criar notas de forma organizada de tudo aquilo que você quiser, inclusive listas de seus filmes favoritos.

2- Faça tudo de uma vez

Essa é uma dica para aquelas tarefas simples e fáceis que ficamos procrastinando como responder e-mails. Quando você pensar em abrir seu e-mail, faça tudo o que precisa de uma vez: leia os e-mails novos e responda aquilo que tem que responder, delete os spams e pronto. Você vai perceber que passaram apenas alguns minutinhos. Se você deixar para depois a chance é que vai acabar acumulando.

3- Tecnica pomodoro

Esse método pode ajudar você não só a estudar, mas a fazer qualquer tarefa mais longa que exija algum tempo de dedicação, como arrumar as roupas e limpar a bagunça. A técnica consiste em cronometrar 25 minutos em que você vai se dedicar integralmente a tarefa em questão seguido de 5 minutos de pausa e assim sucessivamente em ciclos. Após alguns ciclos você pode fazer um intervalo maior. O legal é que existem sites com cronômetros prontos na internet.

Artigo baseado e traduzido de: https://www.healthline.com/health/mental-health/7-adhd-inspired-hacks-for-better-concentration#5.-MIT:-Most-important-tasks

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top