skip to Main Content
focus_logo_azul

Desenvolvido por

PRODAH - Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade - UFRGS

PANDEMIA TRAZ PREJUÍZO PARA CRIANÇAS COM TDAH

IMG 8426
Post Series: Diagnóstico e sintomas

Desde o início da pandemia, muito se especulou sobre o impacto que ela poderia ter sobre crianças e adolescentes com TDAH. Sem a estrutura fornecida pela escola e com as mudanças drásticas na rotina, era de se esperar que os sintomas do TDAH piorassem.

Uma pesquisa atual realizada na China com 241 pais de crianças com TDAH evidenciou que a maioria dos pais relataram piora dos sintomas de seus filhos com a quarentena e a mudança para aulas online.

2/3 dos pais relataram um aumento de episódios de explosão de raiva. 56% dos pais disseram que a capacidade de seus filhos de seguirem uma rotina havia piorado e uma porcentagem similar disse que seus filhos estavam apresentando dificuldade de se concentrar.

Os achados não surpreenderam Joseph Hagan, médico pediatra e coautor dos guidelines atuais sobre TDAH da American Academy of Pediatrics. “Nós geralmente respondemos às situações com os recursos que temos, ” disse Hagan. “Então, não é surpresa que crianças com TDAH responderiam dessa forma”.

Como Hagan explica, ter uma rotina previsível é um dos fatores que ajuda as crianças com TDAH a se organizarem. Ao romper a rotina, a pandemia fez com que essa previsibilidade se perdesse.

Além disso, como Hagan ressalta, crianças com TDAH podem sofrer de outros sintomas psiquiátricos como ansiedade e depressão, que também podem ser exacerbados com a situação de estresse que estamos vivendo. Somado a isso, muitas crianças podem estar convivendo com pais que também apresentam dificuldades, dado que transtornos como TDAH podem ter prevalência familiar.

O estudo, publicado em junho no Asian Journal of Psychiatry, foi conduzido por Yuanyuan Wang, da Montfort University na Inglaterra, e por pesquisadores de Shanghai na China.

Pais de crianças com idades entre 6-15 anos responderam a questionários padronizados sobre sintomas de TDAH e forneceram avaliações sobre seu estado de humor e de seus filhos.

No geral, os pesquisadores encontraram que piores estados de humor- tanto em pais quanto em crianças- se correlacionavam com o agravamento dos sintomas de TDAH.

Como afirma Hagan, é sabido que pais com ansiedade podem afetar seus filhos e, no contexto da pandemia, os pais podem estar tendo dificuldades com a educação em casa de seus filhos, sobretudo se eles também tiverem TDAH.

Outro ponto que deve ser levado em consideração, é que o humor dos pais também pode afetar a forma como eles enxergam o comportamento das crianças, como afirma Richard Gallagher, psicólogo infantil e professor associado na NYU Langone Health em Nova York.

Ele também ressalta a dificuldade de se afirmar até que ponto a quebra da rotina estaria relacionada com os achados. Além disso, o estudo não apresentou grupo controle e, como Gallagher aponta, é possível que pais de crianças sem TDAH também relatariam mudanças de comportamento.

Apesar disso, é de se esperar que crianças com TDAH tenham mais dificuldade. Segundo Gallagher, o estudo também aponta para uma questão importante: como a reabertura das escolas poderia afetar a saúde mental das crianças?

Por hora, Gallagher recomenda que os pais estabeleçam uma rotina individualizada para seus filhos. “Você conhece seu filho. Você pode ajustar o cronograma fora da escola da forma que ficar adequada para ele”.

De fato, Gallagher também afirma que alguns pais estão relatando melhora na performance dos seus filhos em casa em comparado com a escola. O que se explicaria pela flexibilidade na rotina, na qual eles podem opinar um pouco.

Isso não significa que um cronograma criativo e flexível seja fácil. Como Gallagher aponta, os pais muitas vezes têm de balancear a sua rotina de trabalho com a do seu filho, o que pode ser desafiador.

Isso levanta um aspecto importante na hora de cuidar dos filhos. Como Hagan afirma, os pais também precisam cuidar de si mesmos, o que inclui ter uma boa noite de sono e algum período de descanso durante o dia.

“Você não precisa passar o dia todo educando seus filhos em casa”, aponta Hagan.

Os pesquisadores desse estudo não averiguaram a relação dos sintomas das crianças com o uso de medicação- se elas estavam usando ou não durante a quarentena. Hagan afirma que boa parte dos pais informam que seus filhos continuam usando a medicação para o TDAH- porém um número significativo descontinuou. Ele recomenda que os pais conversem com seu médico sobre isso ou sobre outras dificuldades que possam estar tendo.

 

Artigo adaptado e traduzido de https://consumer.healthday.com/infectious-disease-information-21/coronavirus-1008/pandemic-causing-havoc-for-kids-with-adhd-758563.html

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top