skip to Main Content

TDAH E MENOPAUSA: O QUE VOCÊ PRECISA SABER E O QUE PODE FAZER

IMG 0306
Post Series: TDAH & Cérebro

Já é difícil ter um transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). Mas se você é uma mulher passando pela pré-menopausa ou menopausa, pode achar que está ficando ainda mais difícil.

A pré-menopausa ocorre nos anos que antecederam a menopausa. Pode levar alguns meses ou 10 anos, embora o tempo médio seja de quatro anos. Durante esse período, seus níveis de estrogênio diminuem até que seus ovários parem de liberar óvulos. A menopausa ocorre quando você não menstrua há 12 meses.

A diminuição dos níveis de estrogênio pode realmente exacerbar os sintomas e, para algumas mulheres, o declínio é repentino e dramático. As flutuações hormonais afetam a bioquímica do cérebro e, consequentemente, os sintomas do TDAH, de acordo com a Dra. Patricia Quinn, M.D., pediatra do desenvolvimento e diretora do National Center for Girls and Women with ADHD.

” O estrogênio é uma área muito crítica, mas muitas vezes esquecida, no tratamento de mulheres com TDAH”, diz ela. “Costumo ouvir mulheres que relatam que ao entrar na pré-menopausa elas têm mais problemas com os sintomas do TDAH ou que a medicação estimulante parece não estar funcionando tão bem quanto antes”.

Especificamente, o estrogênio afeta a liberação dos neurotransmissores serotonina e dopamina. “A deficiência de dopamina é responsável pelo aumento dos sintomas do TDAH”, disse ela, enquanto menos serotonina leva ao humor deprimido. É por isso que as mulheres se sentem tão infelizes durante os ciclos menstruais, quando os níveis de estrogênio diminuem.

“Como a falta de dopamina é um sinal característico do TDAH, essa mudança adicional na dopamina pode levar a dificuldades ainda maiores com concentração e foco”, disse Stephanie Sarkis, Ph.D, conselheira nacional certificada e conselheira de saúde mental licenciada e autora de 10 Simple Solutions to Adult ADD and Adult ADD: A Guide for the Newly Diagnosed.

Algumas mulheres também acham que seus medicamentos para o TDAH são menos eficazes durante a pré-menopausa e a menopausa. Como resultado, os médicos geralmente aumentam a dose. Mas isso pode ser ineficaz, disse Quinn, porque não há nada sendo feito sobre os baixos níveis de estrogênio.

O que você pode fazer sobre o TDAH e a menopausa

“Muitas mulheres são surpreendidas por agravamento dos sintomas do TDAH”, disse a Dra. Quinn. Mas ela e Sarkis enfatizaram que as mulheres com TDAH têm opções efetivas e, ao abordar seus sintomas, podem minimizá-los, funcionar e sentir-se melhor. Aqui estão algumas de suas sugestões.

  1. Consulte seu psiquiatra

Se seus sintomas estão piorando ou seu medicamento não está funcionando com tanta eficácia? Compartilhe essas informações com seu psiquiatra. Se você não está consultando um psiquiatra agora, encontre um especialista em TDAH, disse Sarkis.

Estimulantes e não estimulantes são altamente eficazes para aliviar os sintomas do TDAH (junto com as mudanças comportamentais). E estudos mostraram que ambos melhoram o funcionamento cognitivo e a atenção em mulheres na menopausa sem TDAH.

  1. Consulte também o seu ginecologista

Certifique-se de o seu ginecologista saiba do seu diagnóstico de TDAH (ou problemas cognitivos, se você não foi diagnosticado) e os medicamentos que está tomando. Sarkis também sugeriu que seu psiquiatra e ginecologista tenham uma comunicação aberta sobre seus sintomas.

A terapia hormonal pode ser útil para algumas mulheres na melhoria do funcionamento cognitivo. No entanto, como é controverso, a Dra. Quinn sugeriu que os pacientes e seus ginecologistas avaliam profundamente os benefícios e riscos. Por exemplo, a terapia hormonal pode ser muito arriscada para mulheres com histórico familiar de câncer de mama ou endometrial, disse ela. Mas para mulheres sem esse histórico e cujo funcionamento é dramaticamente prejudicado, a terapia hormonal pode proporcionar um grande alívio.

  1. Avalie seus pontos fortes e fracos

Identifique as áreas da sua vida que estão sendo afetadas e as atividades que se tornaram difíceis para você, disse a Dra. Quinn. As mulheres podem ter problemas extras com tudo, desde manter-se organizada e administrar seu tempo até tomar decisões, ser impulsivas e esquecer as coisas. Como disse a Dra. Quinn, pode parecer que “você está se arrastando pela lama” e as atividades do dia a dia são abundantes.

Além disso, lembre-se de que você pode ter dificuldades cognitivas mesmo quando ainda está menstruada. De fato, de acordo com a Dra. Quinn, “seu estrogênio começa a diminuir 10 anos antes do período menstrual cessar”, o que pode ocorrer entre os 30 e os 40 anos. Você também pode se sentir incapaz de gerenciar atividades que era capaz antes.

  1. Crie uma “vida favorável ao TDAH”

A Dra. Quinn sugeriu que os leitores simplifiquem suas vidas e configurem o que ela chama de uma vida favorável ao TDAH. Isso significa simplesmente levar em consideração seus sintomas, pontos fortes e desafios. Você pode contratar um organizador profissional, trabalhar com um treinador de TDAH, ser ativo e “ter tempo para si mesmo”, o que você absolutamente merece, disse ela.

Fonte:

Artigo traduzido e adaptado da publicação de Margarita Tartakovsky, M.S., no Psych Central, em 8 de out de 2018.

https://psychcentral.com/lib/adhd-and-menopause-what-you-need-to-know-and-what-you-can-do/

ADHD Weekly 2017-08-17

https://chadd.org/adhd-weekly/changing-estrogen-levels-affect-womens-adhd-symptoms-part-three/

 

Outras fontes:

https://www.additudemag.com/add-and-menopause-how-hormones-affect-adhd-symptoms/

https://www.additudemag.com/adhd-in-women-menopause-symptoms/

 

 

 

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top