skip to Main Content

TERAPIA COMPORTAMENTAL PARA O TDAH: CONSIDERE ESTA ABORDAGEM

IMG 0498
Post Series: TDAH & Cérebro

O tratamento psicossocial é uma parte fundamental na melhoria dos sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH), tanto para crianças quanto para adolescentes.
Tratamentos psicossociais, tais como, terapia comportamental ou modificação de comportamento, além do uso de medicações, têm sólida base em evidências que demonstram sua efetividade1. É importante que você saiba que a terapia comportamental é o único tratamento não medicamentoso para o TDAH que possui amplo fundamento científico.
Mesmo assim, o número de pais que investe nesta abordagem não é tão alto quando os especialistas indicam2. O Centers for Disease Control & Prevention alerta que 62% das crianças recebem medicação, mas que apenas 47% fazem algum tratamento comportamental3.
Tratar uma criança frequentemente envolve intervenções médicas, educacionais e comportamentais. Esta abordagem abrangente é chamada de multimodal e reúne fatores como educação dos pais e da criança sobre o diagnóstico e o tratamento, técnicas para administrar o comportamento, medicação e planejamento escolar.
A severidade e o tipo de TDAH podem ser elementos importantes na hora de decidir quais intervenções utilizar. O tratamento deve ser ajustado às necessidades particulares de cada criança e família.

Por que aderir a tratamentos psicossociais?

A terapia comportamental para o TDAH é importante por diversas razões. Primeiramente, porque crianças com o transtorno enfrentam desafios cotidianos que vão muito além de seus clássicos sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade. Estas situações incluem performance e comportamento na escola, relacionamento com os colegas, com os pais e os irmãos e dificuldade de seguir ordens de adultos e professores.
Estes problemas são de extrema relevância, pois predizem como as crianças diagnosticadas com TDAH se desenvolverão em longo prazo.
Segundo a Children and Adults with Attention-Deficit/Hyperactivity Disorder (CHADD)1, há três fatores principais na previsão do desenvolvimento da criança:

1 – se os pais utilizam ferramentas educacionais efetivas;
2 – como o jovem paciente se relaciona com outras crianças;
3 – performance escolar (notas e comportamento).

Os tratamentos psicossociais são eficazes na melhoria destes elementos fundamentais. Ainda, ensinam capacidades aos pais e professores para que os adultos envolvidos na formação do jovem possam ajudá-lo a superar suas deficiências.

O que é a modificação comportamental?

Através da chamada modificação comportamental, pais, professores e crianças aprendem técnicas e habilidades específicas com um terapeuta ou com um educador experiente na abordagem. Estes profissionais ajudarão a melhorar o comportamento do jovem paciente.
Pais e professores, então, utilizarão estas capacidades em suas interações rotineiras com a criança diagnosticada com TDAH. Isso colaborará com o funcionamento do jovem em áreas fundamentais de sua vida. Ainda, a criança com TDAH utilizará as habilidades aprendidas em suas interações com colegas e com amigos de sua idade.

A modificação comportamental trabalha com três eixos:

– antecedentes (gatilhos que disparam ou que antecedem determinados comportamentos);
– comportamentos (coisas que a criança faz e que os pais e os professores desejam mudar);
– consequências (questões que acontecem após comportamentos específicos).

Em programas comportamentais, os adultos aprendem a mudar os antecedentes. Por exemplo, transformando a maneira com que dão ordens aos filhos.
Também, aprendem a mudar as consequências. Por exemplo, controlando a forma com que reagem quando a criança obedece ou desobedece aos pais.
Assim, ao consistentemente controlar situações e mudar suas respostas, os adultos se tornam aptos para criar novos comportamentos na criança. Intervenções nos pais, nos professores e nos pacientes devem ser trabalhadas simultaneamente para gerar os melhores resultados.

O CHADD indica cinco pontos principais que devem ser incorporados nos três eixos da modificação de comportamento1.

1 – Comece com metas possíveis, que a criança seja capaz de conquistar em pequenos passos.
2 – Seja consistente. Mantenha as capacidades aprendidas durante diferentes períodos do dia, em diversos ambientes.
3 – Expresse as consequências imediatamente após o comportamento indesejado.
4 – Implemente as intervenções comportamentais por um longo tempo – não apenas por alguns meses.
5 – Saiba que aprender e ensinar capacidades é um processo lento e que a melhoria da criança será gradual.

Pais que almejam tentar uma abordagem psicossocial com seus filhos devem aprender o que diferencia a modificação do comportamento de outras técnicas. Assim, eles poderão reconhecer o que é de fato eficaz no tratamento e se sentir confiantes de que aquilo que o terapeuta oferece ajudará no desenvolvimento do filho.

Como encontrar um profissional habilitado?4

O primeiro passo para aderir ao tratamento psicossocial é encontrar um profissional de saúde especializado em terapia comportamental. Isso não é exatamente simples, especialmente se há dificuldades financeiras envolvidas ou se a família mora em lugares muito afastados dos grandes centros.
Neste caso, converse com o médico da família e peça alguma indicação. Ainda, fale com o plano de saúde e busque uma lista de profissionais. O plano pode não cobrir todo o tratamento, mas muitos oferecem algum tipo de benefício. Você também pode recorrer a fóruns, conversar com outros pais ou procurar instituições ligadas ao TDAH no Brasil.
Busque profissionais que foquem no ensino de ferramentas para os pais. Pais são os grandes modelos das crianças. Portanto, são eles que exercem maior influência sobre o comportamento dos filhos.
No caso de crianças pequenas, focar no treinamento dos pais é ainda mais recomendado, já que pacientes muito jovens ainda não são maduros o suficiente para mudarem seus próprios comportamentos sem a ajuda de seus pais.

Antes de escolher o terapeuta, questione-se sobre as seguintes perguntas4:

– O terapeuta ensina estratégias que usam reforço positivo, estrutura e disciplina consistente para administrar o comportamento do seu filho?
– Ele ensina maneiras positivas de interação e comunicação com a criança?
– Ele recomenda atividades práticas para que você exercite com seu filho em casa?
– Vocês se encontram regularmente para monitorar o progresso da criança e ajustar intervenções?
– Ele se mantém flexível no ajuste do método e das ferramentas?

Tipicamente, os pais comparecem a oito ou mais sessões com o terapeuta, que encontra a família com frequência para revisar a progressão do tratamento, prover apoio, tirar dúvidas e afinar estratégias. No intervalo entre as consultas, os pais praticarão os exercícios sugeridos.

Medicação ou Tratamento Psicossocial: devo escolher ou fazer ambos?

Algumas famílias podem escolher tentar a medicação primeiro e outras podem se sentir mais confortáveis começando pela terapia comportamental. Outra opção é incorporar ambas as abordagens ao plano de tratamento inicial. A combinação das duas modalidades pode reduzir a dose da medicação1. Para crianças muito pequenas, o tratamento psicossocial é recomendado antes dos medicamentos.
Ainda, é válido notar que um número cada vez maior de médicos defende que medicamentos não devem ser utilizados sozinhos, ou seja, que devem ser combinados com o treinamento dos pais e com intervenções escolares.
No fim, cada família precisará tomar decisões com base em seu orçamento mensal, na gravidade do transtorno do seu filho e nas possibilidades particulares de cada um. Mantenha sempre em mente que não há um tratamento perfeito para todas as pessoas.

Fontes
1 PSYCHOSOCIAL TREATMENTS. CHILDREN AND ADULTS WITH ATTENTION-DEFICIT/HYPERACTIVITY DISORDER (CHADD). Disponível em: <https://chadd.org/for-parents/psychosocial-treatments/>. Acesso em: 04 de janeiro de 2019.
2 EMPHASIZING PSYCHOSOCIAL TREATMENTS FOR ADHD. NEW ENGLAND PSYCHOLOGIST. Disponível em: <https://www.nepsy.com/articles/columnists/emphasizing-psychosocial-treatments-for-adhd/>. Acesso em: 04 de janeiro de 2019.
3 ADHD Data & Statistics. CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION (CDC). Disponível em: <https://www.cdc.gov/ncbddd/adhd/data.html/>. Acesso em: 04 de janeiro de 2019.
4 Behavior therapy for young children with ADHD. CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION (CDC). Acesso em: 04 de janeiro de 2019.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top