skip to Main Content

IMPULSIVIDADE E TDAH: UMA QUESTÃO CEREBRAL

IMG 0495
Post Series: TDAH & Cérebro

Todos já passamos por situações em que dissemos ou fizemos coisas das quais nos arrependemos. Porém, quando falamos de indivíduos diagnosticados com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH), estes momentos podem ir longe demais.
Por mais que a desatenção e a inquietude sejam as características mais mencionadas quando falamos sobre TDAH, um sintoma precisa ser trazido à tona: a impulsividade.

A impulsividade não é algo de todo mal, explica Catharine A. Winstanley, Ph.D1. “É uma característica do comportamento humano, que pode ser tanto benéfica quanto prejudicial em nosso cotidiano”, pondera ela. “Por exemplo, a habilidade de agir impulsivamente pode nos fazer aproveitar uma oportunidade, mas também pode nos levar a decisões desastrosas, capazes de gerar arrependimento pelo resto da vida”, explica a pesquisadora.

Impulsividade e TDAH no cérebro

A tomada de decisões é parte do córtex pré-frontal, que é a região do cérebro responsável pelo pensamento. É a última parte do cérebro a amadurecer, o que só ocorre por volta dos 20 anos de idade. Isso explica as decisões impulsivas dos adolescentes.
Pessoas diagnosticadas com TDAH têm um atraso ainda maior na maturidade desta região, o que pode indicar o porquê desta impulsividade relacionada ao transtorno2.

Como o TDAH e o controle de impulsos se relacionam?3

O tálamo, uma estrutura localizada no diencéfalo, entre o córtex cerebral e o mesencéfalo, é responsável por controlar a inibição de respostas. O tálamo funciona como um portão que envia sinais para permitir ou para barrar determinados comportamentos.
Quando o cérebro detecta uma bandeira vermelha, envia um aviso do tálamo para o córtex frontal. Este é o centro de controle do cérebro, que lida com a expressão de emoções e com a resolução de problemas.
No cérebro de um indivíduo diagnosticado com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade, este portão tem problemas. Isso significa que a pessoa pode ter dificuldades de segurar um comentário que machuca os sentimentos de alguém ou de controlar desejos, como comer um doce ou gastar dinheiro.
Pessoas sem TDAH têm a habilidade de parar no meio do caminho quando percebem que alguém não está feliz com um comentário, afirma Joel Nigg, Ph.D2. “A criança com TDAH precisa de 20 a 30 milissegundos a mais para enviar estes alertas, o que é uma eternidade quando falamos sobre controle de comportamento”, explica Nigg.
Em outras palavras, não se trata apenas de mera grosseria ou falta de disciplina. Trata-se de uma disfunção no sistema de sinalização do cérebro.

Tipos de impulsividade

Três tipos de impulsividade podem de fato impactar a vida de uma pessoa, incluindo a experimentação de drogas e álcool.

– A direção impulsiva pode levar a pessoa a taxas elevadas de acidentes.
– A impulsividade na vida sexual está diretamente relacionada à maior incidência de doenças sexualmente transmissíveis.
– A impulsividade verbal é prejudicial para as relações sociais e frustrante para amigos e parentes.

Controle da impulsividade

Então, quais são os pontos-chave no controle da impulsividade? Um bom lugar para começar é conhecer seus riscos individuais.
Seus comportamentos impulsivos se manifestam mais verbalmente? Você tem a tendência de gastar mais dinheiro do que possui? Você não consegue controlar sua alimentação? Estes momentos são considerados críticos para a impulsividade. Então, mantê-los no radar é muito importante.
Um segundo ponto é quando estes momentos ocorrem. A impulsividade surge em situações muito emotivas ou reativas? Álcool e drogas potencializam este problema?
Uma vez que você mantém estas questões em mente, é hora de ativar o freio. Isso quer dizer que, em vez de você tomar decisões imediatamente, você acionará o freio e postergará a escolha para depois, quando você conseguir lidar com as alternativas de forma mais efetiva. Para tanto, permita-se tempo para dialogar com amigos sobre o assunto, um coach, psicólogo ou alguém em quem confia.

Como prevenir ações impulsivas?1

– Reconheça as situações em que você tende a ser impulsivo. Planeje-as com antecedência. Por exemplo, leve ferramentas capazes de relaxá-lo para uma reunião de negócios.
– Pratique o mindfulness. No Brasil, o método é chamado de Consciência Plena e ensina técnicas que auxiliam na percepção de si mesmo e daquilo que lhe rodeia. Ao manter essa vigilância constante, você se torna mais apto a julgar seus próximos passos.
– Crie obstáculos para ações impulsivas. Deixe o cartão de crédito em casa. Não tenha doces e guloseimas em casa. Utilize uma frase padrão antes de dizer algo, como “eu estava pensando a respeito de uma coisa…”. Esta fração de tempo ajudará seu cérebro a escolher o que deve ser dito.

Fonte
1. OOPS! THAT WAS IMPULSIVE. CHADD. Disponível na versão cache: <https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:0qruxK5cTuEJ:https://chadd.org/adhd-weekly/oops-that-was-impulsive-2/+&cd=16&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br>. Acesso em: 04 de janeiro de 2019.
2. IMPULSIVITY: A SYMPTOM OF ADHD. PSYCHOLOGY TODAY. Disponível na versão cache: <https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:rJuc-zKFpakJ:https://www.psychologytoday.com/us/blog/fast-minds/201303/impulsivity-symptom-adhd+&cd=9&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br>. Acesso em: 04 de janeiro de 2019.
3. Impulsivity, Explained. ADDITUDE. Disponível em <https://www.additudemag.com/adhd-brain-impulsivity-explained/>. Acesso em: 04 de janeiro de 2019.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top