skip to Main Content

MOVA-SE: EXERCÍCIOS PODEM AJUDAR NOS SINTOMAS DE TDAH?

IMG 0288
Post Series: TDAH & Cérebro

Você já deve ter ouvido que exercícios físicos regulares podem melhorar o seu humor, certo? Se você foi diagnosticado com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH), mover-se pode gerar benefícios, além de simplesmente fazer você se sentir alegre e disposto. No caso do TDAH, exercícios podem ajudar a minimizar alguns sintomas.

Foram poucos os estudos randomizados que buscaram compreender a relação de causa e efeito entre exercício e TDAH, para termos uma conclusão consolidada sobre a questão, dizem os pesquisadores responsáveis por uma metanálise publicada em 20161. Os investigadores analisaram 22 estudos realizados com 579 participantes, entre 3 e 25 anos.

“Mesmo que os resultados encontrados sejam encorajadores, esta revisão deve ser observada como uma conclusão cautelosa, capaz de guiar pesquisas futuras”, explicam os pesquisadores.

O que eles encontraram?

A metanálise apoia a eficácia na melhoria de alguns aspectos cognitivos de jovens com TDAH. O efeito geral do exercício físico foi de pequeno a moderado, e um efeito similar foi reportado em crianças e jovens sem o transtorno.

Os pesquisadores salientam que as descobertas podem ter sido afetadas pelo pequeno número de estudos analisados ou até mesmo por causa das desordens associadas ao TDAH.

Contudo, eles enfatizam que intervenções com atividades físicas podem gerar benefícios aos pacientes. Ainda, alertam que o tipo de exercício, tempo, idade e outros fatores não propiciaram significativamente a melhoria dos participantes.

O possível potencial das artes marciais

Contradizendo a metanálise que mencionamos acima, um pequeno estudo da Hofstra University2 observou meninos com TDAH, comparando-os em duas atividades diferentes: a aeróbica tradicional e as artes marciais.

Os pesquisadores descobriram que aulas de artes marciais duas vezes por semana ofereciam melhorias no comportamento e na performance superioras às da atividade aeróbica.

As crianças inscritas nas artes marciais finalizavam mais as suas tarefas de casa, sentiam-se mais bem preparadas na escola, recebiam notas maiores, desobedeciam menos e ficavam mais tranquilas enquanto sentadas.

É importante dizer que a atividade aeróbica também gerou melhorias quando comparadas com crianças inativas.

Mas, por que as artes marciais parecem oferecer mais benefícios?

Os pesquisadores não puderam explicar, mas, de acordo com John J. Ratey, autor da obra Spark: The Revolutionary New Science of Exercise and the Brain, “movimentos técnicos, inerentes a este tipo de atividade, ativam diversas áreas do cérebro que controlam equilíbrio, tempo, sequenciamento, avaliação das consequências, troca de tarefas, correção de erro, ajustes da motricidade fina e, claro, foco e concentração”3.

E, claro, essas atividades geralmente também são aeróbicas, e isso pode colaborar nas habilidades cognitivas e na atenção da mesma forma que uma corrida, por exemplo.

O psiquiatra Michael Lara, especializado no atendimento de pacientes com TDAH, alerta4 que “a coisa mais importante que você deve considerar ao iniciar um programa de exercícios é que você deve encontrar algo que lhe dê prazer – ou que dê prazer ao seu filho. É desta forma que você ou seu filho seguirão praticando. Atividades em grupos ou com um componente social podem ser especialmente benéficas”.

No caso de adultos, o Dr. Lara argumenta que as linhas gerais para exercícios no tratamento do TDAH são a utilização de atividades cardiovasculares moderadas ou intensas (65-75% acima do consumo máximo de oxigênio – VO2 max) por 30 ou 40 minutos diários, de quatro a cinco vezes por semana.

Ele compartilha conosco o que geralmente recomenda aos seus pacientes. Lara diz que treinamentos de resistência podem não constar nas recomendações gerais, mas estes treinamentos também podem apresentar benefícios.

Então, o psiquiatra cria programas que incluem tanto exercícios cardiovasculares quanto de resistência. O que mais importa, enfatiza o médico, é que haja uma ampla variedade de movimentos funcionais que exijam coordenação, equilíbrio e flexibilidade, para melhorar a performance.

Os programas que ele recomenda são baseados no chamado Crossfit e incluem circuitos, exercícios de força e resistência. Mas, ele frisa a importância de preparar o corpo para isso.

“Uma das causas mais comuns para que os pacientes parem as atividades físicas é que eles se machucam, porque tentam demais em tempo de menos. Portanto, eu recomendo que os pacientes caminhem por 30min diariamente, quatro vezes por semana, por no mínimo um mês, antes de começarem a pensar em outras modalidades.”

Fontes

1 Tan Bw et al. A Meta-Analytic Review of the Efficacy of Physical Exercise Interventions on Cognition in Individuals with Autism Spectrum Disorder and ADHD. J Autism Dev Disord. 2016 Sep;46(9):3126-43. doi: 10.1007/s10803-016-2854-x. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs10803-016-2854-x>. Acesso em: 30 de novembro de 2018.

2 Morand, M. (2004). The effects of mixed martial arts and exercise on behavior of boys with attention deficit hyperactivity disorder. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/35462255_The_effects_of_mixed_martial_arts_and_exercise_on_behavior_of_boys_with_attention_deficit_hyperactivity_disorder>. Acesso em: 24 de novembro de 2018.

3 WHAT’S THE BEST EXERCISE TO MANAGE ADHD SYMPTOMS?. WEBMD. Disponível em: <https://www.webmd.com/add-adhd/exercise-manage-adhd-symptoms#1>. Acesso em: 23 de novembro de 2018.

4 THE EXERCISE PRESCRIPTION FOR ADHD. THE NATIONAL RESOURCE ON ADHD. Disponível em: <http://www.chadd.org/AttentionPDFs/ATTN_06_12_Exercise.pdf>. Acesso em: 23 de novembro de 2018.

 

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top