skip to Main Content

POR QUE PESSOAS COM TDAH PODEM SER BEM-SUCEDIDAS NOS NEGÓCIOS

IMG 9989
Post Series: TDAH & Cérebro

Os sintomas do TDAH determinam características importantes que podem ser associadas ao empreendedorismo. Ao menos, essa é a conclusão de um estudo realizado por uma equipe internacional de economistas, que descobriram que os empresários com TDAH abraçam novas experiências e demonstram paixão e persistência.

A sua tomada de decisão intuitiva em situações envolvendo incerteza foi vista pelos pesquisadores como um motivo para reavaliar os modelos econômicos existentes.

Pobre concentração, hiperatividade, falta de auto-regulação – à primeira vista, os sintomas do TDAH pareceriam diminuir o desempenho.

Por outro lado, os empresários bem-sucedidos são frequentemente relatados como tendo TDAH.

“Nós observamos, em algum momento, que alguns sintomas do TDAH se assemelham a comportamentos comumente associados ao empreendedorismo – em um sentido positivo”, diz o Prof. Holger Patzelt, do Instituto de Pesquisa em Empreendedorismo da Universidade Técnica de Munique (TUM).

Em cooperação com Johan Wiklund, professor da Universidade de Syracuse, e Dimo Dimov, professor da Universidade de Bath, Patzelt entrevistou 14 pessoas com TDAH que trabalham por conta própria sobre seus diagnósticos, suas carreiras e seus antecedentes pessoais.

O estudo mostra que os sintomas importantes do TDAH tiveram um impacto decisivo na decisão das pessoas de entrar em negócios e em sua abordagem empresarial:

Impulsividade

As pessoas com TDAH perdem rapidamente a paciência.

Vários dos participantes do estudo citaram o tédio em seus empregos anteriores como motivo para a criação de sua própria empresa, onde eles poderiam acompanhar suas próprias ideias sempre que quisessem.

Uma mulher relatou que havia introduzido 250 novos produtos em apenas alguns anos.

Em situações que seriam altamente estressantes para outros, como encontros difíceis com clientes importantes, muitos dos entrevistados sentiam-se à vontade e estimulados.

A maioria dos inquiridos atua sem pensar, mesmo quando toma decisões de longo alcance. Um dos empresários descreveu a compra de uma empresa de amigos durante o almoço. Ele só descobriu o plano do amigo de se aposentar durante a refeição.

Outros participantes relataram que eles fazem investimentos sem estratégia e comprometem grandes somas em projetos com resultados altamente incertos.

Alguns empresários acreditam que esse tipo de tomada de decisão rápida é o único meio de ser produtivo e estão dispostos a vivenciar alguns retrocessos como resultado. Alguns têm dificuldade em lidar com atividades estruturadas.

No entanto, as ações impulsivas dos entrevistados levaram ao sucesso apenas quando eles se concentravam em atividades essenciais para o desenvolvimento de seus negócios.

Uma desvantagem de sua impulsividade foi mencionada por todos eles: problemas com tarefas rotineiras, como a contabilidade.

Hiperfoco

Quando as pessoas com TDAH têm um forte interesse em uma tarefa, elas apresentam um nível incomum de concentração conhecido como hiperfoco.

Um empresário descreveu que muitas vezes fica completamente absorvido na elaboração de soluções para os clientes.

Outro acompanha constantemente as novas tecnologias em sua indústria, a ponto de ele ser muito procurado como especialista.

“Com a sua paixão e persistência, e os conhecimentos adquiridos, os empresários podem ganhar uma vantagem competitiva substancial”, diz Patzelt.

Alto nível de atividade

Muitos dos empresários no estudo trabalham dia e noite. Isso é devido ao seu hiperfoco, mas também à inquietação física associada ao TDAH.

Os empresários usam isso para alimentar sua carga de trabalho. Como seus níveis de energia não são constantes ao longo do dia, uma vantagem em administrar seus próprios negócios é que eles podem definir suas próprias horas de trabalho.

“A lógica das pessoas com sintomas de TDAH está em melhor sintonia com a ação empresarial”.

Resumindo os resultados, Patzelt diz: “O TDAH foi um fator chave na decisão desses portadores em entrar em negócios próprios e impactou decisivamente na construção de importantes traços empresariais: risco, paixão, persistência e compromisso de tempo”.

“O impulso tem um papel especial a desempenhar. Para as pessoas com TDAH, é bom tomar decisões intuitivas, mesmo que os resultados sejam ruins “.

Embora um terço dos entrevistados tenha falhado em seus empreendimentos comerciais ou tiveram pouco sucesso, Patzelt considera os resultados do estudo como vitais para estimular uma reavaliação de premissas prevalecentes na pesquisa de empreendedorismo:

“A forma como avaliamos as decisões empresariais baseia-se, em grande parte, na racionalidade e nos bons resultados. Em vista da multidão de incertezas, no entanto, essas decisões podem ser sempre racionais? As pessoas com TDAH nos mostram uma lógica diferente que talvez seja mais adequada ao empreendedorismo “.

Comentário do Professor Luis Augusto Rohde – PRODAH/UFRGS: Nos últimos anos, temos procurado pesquisar, não os aspectos negativos associados ao diagnóstico psiquiátrico, mas potenciais vantagens que alguns sintomas psiquiátricos podem conferir ao portador. Nesse sentido, estamos acabando uma pesquisa em conjunto com a TRIAD-PS com centenas de empreendedores. Pretendemos verificar se há realmente associação de empreendedorismo e TDAH e se empreendedores de sucesso tem mais sintomas de TDAH. Vamos ver se os nossos resultados confirmam as descrições acima!

Publicado no Knowridge, fevereiro de 2018

< http://www.hadd.ie/article/why-people-adhd-can-be-more-successful-business>

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top