skip to Main Content
focus_logo_azul

Desenvolvido por

PRODAH - Programa de Transtornos de Déficit de Atenção/Hiperatividade - UFRGS

O QUE FAZER QUANDO O TDAH E TOD COOCORREM?

O QUE FAZER QUANDO O TDAH E TOD COOCORREM?

Você pede para sua filha se sentar com a família durante o jantar e ela estoura em uma explosão de raiva. É a mesma rotina toda noite. Você define um limite de horário, mas ela nunca respeita as regras. Você acaba se sentindo como se estivesse pisando em ovos, porque nunca sabe como ela responderá, até mesmo ao menor comentário.

Soa familiar? É assim a convivência com uma criança que tem Transtorno Opositivo Desafiador.

O que é o TOD?1

Transtorno Opositivo Desafiador é bastante comum entre crianças e adolescentes e, muitas vezes, coocorre com o TDAH. É classificado como Transtorno Disruptivo do Comportamento.

Embora a maioria dos adolescentes certamente teste os limites dos adultos de tempos em tempos, os sintomas do TOD geralmente começam muito mais cedo – normalmente na época em que a criança entra na pré-escola. Além disso, o comportamento do TOD é consistentemente desafiador, em contraste com a usual rebeldia dos adolescentes, que é inconstante.

Crianças com o Transtorno Opositivo Desafiador desenvolvem um padrão comportamental com características marcantes e constantes – não cooperam, desafiam tudo e todos que puderem, questionam autoridades e outras questões que prejudicam o sucesso nas relações sociais e escolares. Outros sintomas do TOD incluem:

– Birras frequentes

– Discussões excessivas

– Questionamento de regras

– Recusa em fazer o que adultos pedem

– Tentativas deliberadas de machucar as pessoas

– Culpar os outros por seus próprios erros

– Sentir-se muito irritado pelos outros

– Raiva e rancor frequentes

– Praticar atitudes más propositadamente

– Busca por vingança quando machucado

Estes sintomas são geralmente vistos em diversas situações, mas são mais notáveis em casa ou na escola. De 1% a 16% das crianças e adolescentes têm TOD. As causas são desconhecidas, mas muitos pais reportam que seu filho com TOD foi mais exigente e rígido do que seus irmãos sem o transtorno.3

Diagnosticado com TDAH e TOD?

Esse tipo de comportamento agressivo e desafiador é ainda mais provável quando o TDAH é adicionado à mistura. TDAH e TOD geralmente acontecem juntos, embora não haja estudos para quantificar os casos de coocorrência. Algumas fontes mostram que 25% das crianças e 45% dos adolescentes com TDAH também terão um diagnóstico de TOD, mas esse número não é realmente exato porque inclui apenas aquelas crianças que foram vistas por um profissional de saúde mental.2

É provável que as condições coocorram por compartilharem alguns fatores genéticos. Também pode haver fatores de risco para TOD relacionados à vida familiar, ao ambiente ou fatores psicológicos.

Mas, o que é realmente importante é o efeito dos dois diagnósticos combinados. O TDAH tende a tornar os sintomas da TOD mais perceptíveis e vice-versa. Quando o TDAH é acompanhado por TOD, pode haver uma resistência maior ao tratamento. Isso pode diminuir a capacidade de resposta das crianças para tratamentos.1

Tratamento para coexistência de TDAH e TOD

Se seu filho foi diagnosticado com TDAH e TOD, o melhor plano de tratamento é aquele com uma abordagem multimodal. Isso significa que não se deve confiar em apenas uma abordagem, como medicação ou terapia comportamental, mas encontrar um equilíbrio. Embora isso seja verdade para muitas pessoas com TDAH, é ainda mais importante quando o TOD também faz parte do quadro.

O treinamento dos pais é muitas vezes o ponto de partida para o tratamento do TOD. Saber responder às explosões e ao mau comportamento, bem como disciplinar efetivamente seu filho, é essencial para ajudá-lo a aprender a administrar a si mesmo.

Terapia individual e familiar, que pode incluir treinamento de habilidades sociais ou treinamento de habilidades de resolução de problemas cognitivos, são ferramentas importantes. Geralmente, nestes casos, apenas medicação não é eficaz no tratamento do TOD, mas, quando transtornos coexistem, os estimulantes ainda são uma opção eficaz no tratamento do TDAH.

Fontes

1 WHAT TO DO WHEN ADHD AND ODD CO-OCCUR. THE NATIONAL RESOURCE ON ADHD.

Disponível em: <http://www.chadd.org/Understanding-ADHD/About-ADHD/ADHD-Weekly/Article.aspx?id=574>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

2 DISRUPTIVE BEHAVIOR DISORDERS. THE NATIONAL RESOURCE ON ADHD.

Disponível em: <http://www.chadd.org/Understanding-ADHD/About-ADHD/Coexisting-Conditions/Disruptive-Behavior-Disorders.aspx>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

3 OPPOSITIONAL DEFIANT DISORDER. AMERICAN ACADEMY OF CHILD AND ADOLESCENT PSYCHIATRY. Disponível em: <https://www.aacap.org/AACAP/Families_and_Youth/Facts_for_Families/FFF-Guide/Children-With-Oppositional-Defiant-Disorder-072.aspx>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
COMO MELHORAR O RENDIMENTO NOS ESTUDOS: DICAS PARA ALUNOS COM TDAH

COMO MELHORAR O RENDIMENTO NOS ESTUDOS: DICAS PARA ALUNOS COM TDAH

Todas as crianças terão algum tipo de problema na hora de estudar. Mas, no caso de jovens com TDAH, o desafio vai além. Não se trata apenas de dificuldade sobre uma determinada matéria ou tampouco um dia de indisposição. Falamos de questões sérias relacionadas à atenção, à paciência, ao foco e à organização.

Alguns alunos com TDAH têm dificuldade em completar tarefas monótonas ou exigentes demais. Eles conseguem sim focar em exercícios que consideram interessantes, mas a distração surge forte quando se trata de tarefas tediosas. A procrastinação é penetrante entre os portadores do transtorno e, não supreendentemente, eles podem acabar sabotando o sucesso escolar.1

Tranquilize-se, pois nem tudo está perdido. Com o auxílio de ferramentas, os desafios vão sendo resolvidos um a um. A chave para o sucesso escolar, nos portadores do Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade, é justamente detectar os problemas de forma pontual e encontrar soluções específicas para cada um deles. Experimentação é o fundamento aqui.

Vamos ver algumas estratégias para colaborar nesta jornada:

1 – Planeje-se. Você pode usar papel, smartphone ou um calendário no computador. O que interessa é ter um sistema central para registrar o que seu filho (e você) deveria estar fazendo em determinada hora. Estes avisos podem ser visuais ou sonoros, como quiser. O que interessa é que sejam claros e previsíveis – e seguidos à risca.

2 – Agende tudo que for fazer. Coloque absolutamente tudo neste método de planejamento. Aulas, passeios, sessões no médico, momentos de pausa e relaxamento com os amigos. Desta forma, não será preciso parar para pensar sobre a próxima tarefa, o que abre margem para interrupção ou dispersão. Esta metodologia, quando seguida, torna as atividades automáticas – e é exatamente o automatismo que estamos buscando.

3 – Adiante e parcele os estudos. Passar a madrugada antes da prova estudando não é apenas estressante, é ineficiente. Nossos cérebros não conseguem absorver as informações aprendidas no último minuto. Isso ocorre porque a chave do aprendizado é a repetição e os últimos instantes apenas levam à ansiedade, que bloqueia a habilidade de compreender e memorizar informações. Colocou a data da prova no planejador? Aproveite e planeje também o momento certo para começar a estudar: uma semana antes do grande dia. Parcele estes momentos de estudo em períodos de 15 ou 20min.

4 – Não existe ferramenta ruim. Se funcionou para o seu filho, utilize a ferramenta. Crianças com TDAH frequentemente se sentem mais tranquilas enquanto se movimentam durante as tarefas. O movimento pode estimular regiões frontais do cérebro e o controle da atenção. Se andar pelo quarto de estudo ajudar seu filho a focar, permita. Use também cartões ilustrados, anotações, cartazes, áudio gravado. Todos os recursos de memorização visual e sonora, ou até mesmo multissensoriais, são válidos como experimentação.

5 – Recompense. Motivação é a base nesta dica. Sistemas de recompensas ao completar tarefas podem ser altamente gratificantes. Estimule seu filho a concluir as tarefas em prazos bons para todos e o presenteie com uma ida ao futebol ou qualquer atividade que lhe interesse – e seja firme caso o acordo não seja cumprido.

6 – Tenha expectativas realistas. É mais fácil compreender os limites dos seus filhos na infância, quando eles estão sob os olhos dos pais. Na adolescência, o silêncio pode ser um fator impeditivo para confirmar se as tarefas estão sobrecarregando o jovem, o que pode resultar em resultados reduzidos. Psicólogos podem ajudar bastante nesta parte. Ao serem mediadores de angústias e expectativas de todos, estes profissionais são capazes de colaborar na construção de planos de estudos mais realistas e eficazes.

7 – Crie o ambiente perfeito. Para alguns jovens com TDAH, espaços quietos e tranquilos são usualmente necessários. Para outros, uma música de fundo pode ajudar. Você pode escolher uma biblioteca, um parque ou até construir um cômodo na casa específico para isso. Se for preciso usar o computador, não deixe de pesquisar aplicativos e softwares criados para colaborar nesta causa: são vários. Afinal, a dispersão na internet não é algo exclusivo de portadores de TDAH.

8 – Faça breves pausas. Pessoas com TDAH têm dificuldade de sustentar a atenção por um período maior de tempo. Por isso, pausas constantes ajudam muito. Quando o foco começar a dispersar, é o momento dos 5min de pausa.

9 – Exercícios físicos. Atividade física tem grandes benefícios cerebrais que impactam capacidades ligadas à atenção, memória, planejamento e organização. Praticar exercícios físicos antes dos estudos pode colaborar muito para o cérebro com TDAH. Uma caminhada de 15min já pode ter bons efeitos terapêuticos.

10 – Envolva o professor. Independentemente da idade do seu filho, saber tudo que se passa na escola é um grande desafio. É aqui que o professor entra. Engaje-o a enviar relatórios frequentes sobre seu filho. Reúna-se com os professores e converse sobre o progresso ou as dificuldades dele. A relação entre pais e professores, quando se trata de alunos com TDAH, é ainda mais importante. Este diálogo criará clareza sobre mudança de comportamento, poderá colaborar no ajuste de estratégias de estudo em casa e na escola e criará um ambiente mais seguro, onde todos estão colaborando juntos pela saúde do aluno.1

Um breve adendo sobre a importância da escola [dicas para professores]

Logo depois dos pais, os professores são as pessoas mais influentes na vida de um jovem. Quando um professor expressa para um aluno com TDAH que ele é capaz e tem valor, o aluno acreditará. O professor, portanto, precisa ter conhecimento, interesse e abertura para abraçar a situação com os pais.2

Algumas dicas para que vocês, família, possam passar aos mestres:

  • Permita que seu aluno com TDAH sente-se com colegas responsáveis, capazes de ajudá-lo com tarefas e lições.
  • Crie regras para a turma e fixe-as na sala de aula para que todos possam ver. Regras curtas, simples e positivas.
  • Desenvolva e mantenha rotinas para os alunos. Esclareça o que farão quando chegarem pela manhã, como os trabalhos devem ser apresentados, onde as pessoas sentam. Quanto mais estruturado e previsível, melhor.
  • Coloque o aluno com TDAH para sentar mais à frente ou fique próximo dele quando for dar instruções. Assim, o professor poderá controlar distrações.
  • Não impeça que alguns movimentos atípicos aconteçam. Dedos batendo na mesa ou se levantar da cadeira para se espreguiçar ou caminhar podem ser necessários para o aluno com TDAH. Se não atrapalhar a aula verdadeiramente, permita que esta energia seja colocada em movimento.
  • Dê feedback frequente. Alunos com TDAH precisam de feedback imediato. Seja positivo, aponte caminhos e soluções objetivas.3

Fontes

1 A TOOLKIT FOR SCHOOL SUCCESS: 15 STUDY TIPS FOR STUDENTS WITH ADHD. PSYCHCENTRAL. Disponível em: <https://psychcentral.com/lib/a-toolkit-for-school-success-15-study-tips-for-students-with-adhd/?all=1>. Acesso em: 30 de agosto de 2018.

2 HOMEWORK & STUDY TIPS FOR STUDENTS WITH ADHD/ADD. OXFORD LEARNING. Disponível em: <https://www.oxfordlearning.com/10-add-adhd-study-tips>. Acesso em: 30 de agosto de 2018.

3 HOW TEACHERS CAN HELP EVERY STUDENT SHINE. ADDITUDE. Disponível em: <https://www.additudemag.com/teaching-strategies-for-students-with-adhd>. Acesso em: 30 de agosto de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top