skip to Main Content

USO DE ACETAMINOFENO DURANTE A GRAVIDEZ ASSOCIADO AO RISCO DE TEA E TDAH

IMG 9517
Post Series: TDAH & Cérebro

O acetaminofeno é um dos medicamentos mais comuns para o tratamento da dor e para reduzir a febre durante a gravidez, e tem sido considerado seguro em humanos, mas novas evidências estão surgindo.

Pesquisadores da Universidade Hebraica de Jerusalém encontraram, pela primeira vez, uma ligação entre o uso de paracetamol durante a gravidez e um aumento do risco de transtorno do espectro autista (TEA) e transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

O paracetamol (paracetamol ou Tylenol) é um dos medicamentos mais comuns para o tratamento da dor e febre durante a gravidez e tem sido considerado seguro em humanos. No entanto, estão surgindo evidências de propriedades neuro-disruptivas. Estudos anteriores mostraram que a administração a longo prazo de doses baixas de acetaminofeno pode afetar o desenvolvimento do sistema nervoso fetal e que esse efeito é frequentemente visto anos após, identificado durante a infância.

Em uma metanálise inédita, o Dr. Ilan Matok, do Instituto de Pesquisas sobre Drogas da Faculdade de Farmácia da Faculdade de Medicina da Universidade Hebraica, e Reem Masarwa, estudaram a possível associação entre a exposição prolongada ao paracetamol durante a gravidez e o risco TDAH e TEA.

Sua análise, publicada recentemente no American Journal of Epidemiology, mostra que a exposição prolongada ao paracetamol durante a gravidez está associada a um aumento de 30% no risco relativo de TDAH em comparação com aqueles que não tomaram paracetamol durante a gravidez e um aumento de 20% no risco relativo de TEA.

No entanto, dadas as limitações significativas dos estudos existentes, os pesquisadores acreditam que os resultados devem ser interpretados com cautela, pois podem causar ansiedade desnecessária entre as mulheres grávidas. É importante entender que a dor e a febre durante a gravidez podem ter um efeito prejudicial sobre o feto em desenvolvimento, e que o acetaminofeno ainda é considerado um medicamento seguro para uso durante a gravidez. Portanto, se uma mulher grávida tem febre ou dor, o paracetamol pode ser tomado por um curto período. Se a febre ou a dor persistirem, ela deve consultar seu médico sobre o tratamento prolongado.

A pesquisa englobou 132.738 mães e filhos com um período de acompanhamento de três a 11 anos.

“Os resultados sugerem uma associação entre o uso prolongado de acetaminofeno e um aumento no risco de autismo e TDAH”, disse Matok. “Mas o aumento observado no risco foi pequeno, e os estudos existentes têm limitações significativas … Acreditamos que nossos resultados não devem alterar a prática atual e as mulheres não devem evitar o uso de paracetamol a curto prazo quando clinicamente necessário.”

Fonte:

American Journal of Epidemiology, Volume 187, Issue 8, Agusto 2018. Pages 1817–1827,

Publicado em 24 April 2018<https://doi.org/10.1093/aje/kwy086> 

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top