skip to Main Content

USE SEU CAPACETE! O TDAH AUMENTA O RISCO DE LESÕES NA CABEÇA

700 Use Seu Capacete
Post Series: TDAH & Cérebro

Crianças e adolescentes com TDAH podem ter até quatro vezes mais chances de sofrer uma concussão cerebral. Pesquisadores em Taiwan revisaram os registros médicos de 72.181 crianças, adolescentes e adultos jovens diagnosticados com TDAH e os compararam com o mesmo número de pessoas sem TDAH.1

Os resultados do estudo mostraram que os jovens afetados pelo TDAH eram mais propensos a ter uma concussão ou uma lesão cerebral traumática durante o período de estudo do que aqueles no grupo controle. “A impulsividade está muito ligada a comportamentos de risco para a saúde”, diz o Dr. Mu-Hong Chen, do Taipei Veterans General Hospital, em Taiwan.

São diversas as pesquisas sobre a conexão entre TDAH e lesões acidentais. Reunimos os principais dados de alguns destes estudos, que você pode conferir ao final deste artigo:

  • Crianças e adultos jovens com TDAH têm 4,6 vezes mais chances de ter uma lesão cerebral traumática1;
  • Atletas diagnosticados com TDAH têm um risco aumentado de concussão em comparação aos seus companheiros de equipe2;
  • Existe um risco significativamente aumentado de lesão não intencional na vida diária quando a criança tem TDAH3;
  • Crianças e adolescentes que andam de bicicleta têm mais propensão a acidentes, especialmente quando atravessam ruas4.

O tratamento ajuda a prevenir lesões

“Talvez, o resultado mais relevante e surpreendente tenha sido o efeito protetor da medicação para TDAH (especialmente medicamentos estimulantes)”, escrevem Maite Ruiz Goikoetxea, MD, PhD, e seus colegas3. “Isso deve ser considerado durante uma discussão com os pais sobre os prós e os contras da terapia medicamentosa, para que eles possam fazer uma escolha fundamentada sobre as opções terapêuticas que levam em conta os resultados de curto e longo prazos.”

A Dra. Goikoetxea acrescenta que a decisão de parar a medicação durante as férias escolares também deve ser considerada com cuidado, porque há um risco elevado de lesões durante essa época do ano, quando as crianças estão ao ar livre e mais ativas, especialmente fazendo esportes. Quando a segurança é levada em consideração, muitas crianças se beneficiariam em manter a medicação ao invés de parar momentaneamente, ela escreve.

Quando seus filhos crescerem…

Os sintomas melhoram conforme algumas crianças amadurecem, mas muitas outras continuarão com os mesmos sintomas durante a vida adulta. Um estudo de 20145 descobriu que adultos com TDAH têm uma chance significativamente maior de sofrer acidentes de trânsito e receber multas por excesso de velocidade.

Um amplo estudo na Suécia5 concluiu que, entre homens com TDAH, o risco para acidentes de trânsito reduziu 30% com o uso de medicação. O resultado não foi o mesmo para as mulheres, nenhuma redução foi encontrada com a utilização de medicamentos.

O que você pode fazer para diminuir o risco de lesão6

  • Lembre-se de que o TDAH afeta a maturidade e a capacidade de tomar decisões. Ajude os jovens a escolher atividades que atendam suas habilidades de desenvolvimento, mesmo que as atividades pareçam infantis para eles.
  • Certifique-se de que crianças e adolescentes sempre usem equipamento de segurança apropriado, quer as crianças pratiquem bicicleta, patinação, futebol ou qualquer outro esporte.
  • Se você tiver um quintal, certifique-se de que os balanços, casas de boneca e casas na árvore estejam em condições de funcionamento e tenham paredes ou corrimões fortes.
  • Ensine as crianças a atravessarem a rua e pratique regularmente. Crie uma regra familiar de que a criança só pode atravessar a rua com um adulto.
  • Pratique várias situações que seu filho provavelmente encontrará. Mostre ao seu filho exemplos de como agir nessas situações e treine com ele o que fazer. Pergunte à criança: “O que você acha que acontecerá se pular do muro do jardim?” Ajude-a a imaginar possíveis resultados e maneiras de tornar a experiência menos perigosa.

Lembre-se: crianças e jovens assumirão riscos – isso faz parte do seu desenvolvimento natural e independe do TDAH. A maioria não desenvolve o julgamento necessário para gerenciar riscos até a idade adulta e precisará da sua ajuda para decidir se uma ação é muito arriscada.

Fonte:

1 LIOU YJ JA, et al. Risk of Traumatic Brain Injury Among Children, Adolescents, and Young Adults With Attention-Deficit Hyperactivity Disorder in Taiwan. Atten Defic Hyperact Disord. J Adolesc Health. 2018 Aug;63(2):233-238. doi: 10.1016/j.jadohealth.2018.02.012. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29970331>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

2 BIEDERMAN J, et al. Mild Traumatic Brain Injury and Attention-Deficit Hyperactivity Disorder in Young Student Athletes. J Nerv Ment Dis. 2015 Nov; 203(11): 813–819.

doi: 10.1097/NMD.0000000000000375. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4626306/>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

3 GOIKOETXEA RM, et al. Risk of unintentional injuries in children and adolescents with ADHD and the impact of ADHD medications: A systematic review and meta-analysis. Neurosci Biobehav Rev. 2018 Jan;84:63-71. doi: 10.1016/j.neubiorev.2017.11.007. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29162520>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

4 NIKOLAS MA, et al. Risky bicycling behavior among youth with and without attention-deficit hyperactivity disorder. J Child Psychol Psychiatry. 2016 Feb;57(2):141-8. doi: 10.1111/jcpp.12491. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26610867>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

5 CHANG Z, et al. Serious transport accidents in adults with ADHD, and the effect of medication: A population based study. JAMA Psychiatry. 2014 Mar 1; 71(3): 319–325.

doi: 10.1001/jamapsychiatry.2013.4174. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3949159/>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

6 WEAR YOUR HELMET! ADHD RAISES RISK OF HEAD INJURY. THE NATIONAL RESOURCE ON ADHD. Disponível em: <http://www.chadd.org/Understanding-ADHD/About-ADHD/ADHD-Weekly/Article.aspx?issue=d2018-08-02&id=569>. Acesso em: 31 de agosto de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top