skip to Main Content

BULLYING E TDAH: agressores e agredidos

Bullying
Post Series: Escola

Preocupado que seu filho pode estar sendo alvo de bullying na escola? Crianças com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade nem sempre sabem como lidar com o confronto tão típico entre os jovens. É possível que ele pense que a culpa é dele.1

O que é bullying?

É um comportamento individual ou coletivo, geralmente repetido, que intencionalmente tenta machucar uma pessoa ou um grupo – seja física ou emocionalmente, seja pessoalmente ou através da internet (cyberbullying).2

O bullying pode ter efeitos sérios e destrutivos. Vítimas de agressão podem se tornar agressores também.

– Agressores tendem a largar a escola, a ter dificuldades sociais e a desenvolver comportamentos ilegais – do uso de drogas a atividades criminosas.
– Vítimas de bullying podem ter baixa autoestima e um constante sentimento desesperançado, ansioso e triste. A vítima pode se sentir insegura, amedrontada e culpada.

Bullying e TDAH

Nada pode destruir mais o coração de uma mãe ou de um pai do que saber que seu filho está sofrendo violência na escola.

Infelizmente, crianças com TDAH têm ainda mais chances de passar por esta situação. Eles dão alguma resposta inapropriada ou impulsiva e a turma toda responde com piadas ou insultos. Pelos corredores, nos intervalos, a agressão pode sair do âmbito verbal e chegar ao físico.

Precisamos lembrar, também, que portadores do transtorno podem se tornar os agressores. Crianças com TDAH têm três vezes mais chances de se tornarem agressores e dez vezes mais chances de serem agredidas. Ainda, meninas são vítimas mais frequentes do bullying e menos propensas a agredir.3

Como saber se meu filho está sendo agredido?2

Crianças com TDAH podem acreditar que seu comportamento diferente é a causa para serem agredidos ou que não há nada que possa ser feito. Então, mesmo que ela confie nos pais e na escola, seu filho pode optar por não dizer nada a ninguém.

Observe os seguintes sintomas para identificar possíveis casos de bullying:

– Seu filho, de repente, passa a ser recusar a ir para a escola
– A concentração começa a regredir
– As notas começam a cair inesperadamente
– Surgem dores de cabeça, de barriga
– Xixi na cama e dificuldade para dormir
– Ansiedade e autolesão ou automutilação

O que posso fazer se meu filho estiver sendo agredido?4

Crianças com TDAH têm ainda mais problemas para responder a confrontos diretos. Os pais devem encorajar o filho a se impor e a responder sem exageros para não gerar uma escalada destrutiva de agressões.

1 – Avise a diretoria da escola imediatamente. Peça que sejam criadas regras e ferramentas pedagógicas para conscientizar os alunos.

2 – Encoraje seu filho a ficar calmo frente à ameaça. Se forem agressões verbais, ensine-o exercícios de respiração antes de responder. Ajude-o a ensaiar as respostas apropriadas. A chave é se manter emocionalmente distanciado da agressão.

3 – Motive-o a gritar no momento da agressão: “pare!” “Me respeite”. Este tom de voz alertará os adultos.

4 – Estimule seu filho a ficar ereto, fazer contato visual e a falar com voz firme e impositiva.

5 – Diariamente, converse com ele para acompanhar o desenrolar da situação. Separe um momento tranquilo e amoroso para fazê-lo.

O que faço se meu filho for o agressor?5

1 – Não acuse seu filho. Evite gritar. Mantenha-se calmo até mesmo se descobrir que o jovem não sente remorso pelo que fez. Neste caso, relembre seu filho das vezes em que ele se sentiu da mesma forma que a criança que ele agrediu.

2 – Construa. Agressores têm potencial para se tornarem grandes líderes. Converse com o professor e peça que lhe dê uma tarefa especial e motivadora, que engaje a turma.

3 – Previna antes que seja tarde. Pergunte ao professor sobre o que está acontecendo. Reorganize os lugares na sala de aula e, se for o caso, peça que haja supervisão nos corredores e momentos de intervalo.

4 – Ajude seu filho a controlar emoções. Utilize técnicas de dramatização para regular as emoções. Ensaiem cenários juntos em que você é o agressor e ele é a vítima. Explique o que está fazendo e peça que ele responda de forma controlada, sem agressão. Elogie-o pelas respostas.

5 – Lembre-se que o erro não é seu. Se o professor lhe abordar para contar que seu filho está agredindo colegas, seja objetivo: recolha informações para descobrir o porquê de isso estar ocorrendo. Saiba em quem ele bate, por que ele faz isso, quais são os momentos e locais escolhidos. Desta forma, você conseguirá ir utilizando as ferramentas acima para construir uma solução eficiente.

FONTES
1 IS YOUR CHILD A TARGET FOR BULLIES? ADDITUDE. Disponível em: https://www.additudemag.com/stop-bullying-at-school-adhd-children/ . Acesso em: 28 de setembro de 2018.

2 ADHD AND BULLYING.ADHD FOUNDATION. Disponível em: https://www.additudemag.com/stop-bullying-at-school-adhd-children/ . Acesso em: 28 de setembro de 2018.

3 HOLMBERG K et al., 2008. Bullying and attention-deficit–hyperactivity disorder in 10-year-olds in a Swedish community. Developmental Medicine & Child Neurology 2008, 50: 134–138. doi: 10.1111/j.1469-8749.2007.02019.x. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/pdf/10.1111/j.1469-8749.2007.02019.x . Acesso em: 28 de setembro de 2018.

4 THINGS TO DO WHEN YOUR CHILD IS THE BULLY. ADDITUDE. Disponível em: https://www.additudemag.com/teach-adhd-child-about-bullying/ . Acesso em: 28 de setembro de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top