skip to Main Content

Sobreposição entre autismo e TDAH: novo estudo explica relações entre as desordens

New 5c06604ddc283

Traços ligados ao Transtorno do Espectro do Autismo e ao Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) tendem a coocorrer também na fase adulta. A descoberta veio de um dos primeiros estudos sobre os sintomas realizados com esta faixa etária1.

Os resultados apoiam a ideia de que o Transtorno do Espectro do Autismo e o TDAH estão intrinsecamente ligados – uma noção amplamente baseada em pesquisas realizadas com crianças.

“Não sabemos muito sobre a transição da adolescência tardia para a fase adulta quando falamos sobre autismo e TDAH”, explica o responsável pelo estudo, Ralf Kuja-Halkola, um estatístico do Karolinska Institute, localizado em Estocolmo, na Suécia2.

As descobertas têm implicações sobre como os médicos devem tratar pacientes com a sobreposição dos sintomas.

“Se um adulto está buscando ajuda para uma desordem, é uma boa ideia levar em conta os sintomas do outro transtorno”, diz Kuja-Halkola.

Os dados vieram de quase sete mil gêmeos. Os pesquisadores concluíram que metade da sobreposição entre traços de autismo e de TDAH aconteciam devido a fatores genéticos. A outra metade acontecia devido a fatores ambientais.

Kuja-Halkola e seus colegas analisaram traços de autismo e de TDAH em 6.866 gêmeos nascidos na Suécia entre maio de 1985 e junho de 1992. Os participantes vieram do Swedish Twin Registry, que inclui tanto gêmeos idênticos quanto fraternos.

Quando os participantes atingiram a idade de 20 a 28 anos, eles completaram um questionário que investigava traços tanto de TDAH quanto de autismo. As perguntas foram baseadas em critérios de diagnóstico para ambos os transtornos.

Os pesquisadores descobriram que, quando um dos irmãos manifestava dificuldades de atenção ou hiperatividade, o gêmeo frequentemente manifestava comportamentos repetitivos ou problemas de comunicação.

A sobreposição é mais forte em gêmeos idênticos do que em gêmeos fraternos, que compartilham, aproximadamente, metade do DNA. Isso sugere que fatores genéticos contribuem para a sobreposição dos sintomas.

A sobreposição é mais notável nos comportamentos repetitivos, que caracterizam o autismo e na impulsividade e hiperatividade, que caracterizam o TDAH. Um estudo de 2014, realizado com adultos entre 20 e 46 anos, descobriu o mesmo padrão3.

Contudo, estudos feitos com crianças mostraram que os sintomas mais sobrepostos eram dificuldades sociais e comunicacionais. “Parece que os tipos de traços que se sobrepõem acabam mudando ao longo do tempo”, diz Tinca Polderman, professora assistente de Genética na Vrije Universiteit Amsterdam, na Holanda. Polderman conduziu o estudo de 2014.

As razões para estas sobreposições ainda são desconhecidas. Polderman diz que um dos motivos pode ser que adultos tenham dificuldades sociais e comunicacionais menos destacadas. Isso ocorreria, porque crianças geralmente precisam lidar com situações sociais complexas na escola, enquanto adultos tendem a escolher ambientes mais adequados para suas habilidades sociais.

Fatores Genéticos:

Ao comparar as pontuações dos gêmeos idênticos e fraternos no novo estudo de Kuja-Halkola, os pesquisadores estimaram que fatores genéticos sejam responsáveis por metade da sobreposição de trações de autismo e de TDAH. Fatores ambientais exclusivos de um membro de cada par – como acidentes ou experiências com colegas – seriam responsáveis pela outra metade.

O estudo pode, no entanto, subestimar a relação na contribuição para a sobreposição: pesquisas com gêmeos sugerem que os genes são responsáveis pela maioria da sobreposição entre autismo e TDAH.

Já no estudo de Kuja-Halkola, se um irmão se autoavaliasse com uma nota diferente de seu gêmeo, por exemplo, isso já poderia modificar o peso da genética na conclusão dos pesquisadores.

Kuja-Halkola diz que o próximo passo é analisar como a sobreposição muda com a idade, acompanhando os mesmos indivíduos ao longo do tempo.

Benjamin Yerys, psicólogo infantil no Center for Autism Research, localizado no Children’s Hospital of Philadelphia, Estados Unidos, diz estar motivado com as descobertas. “Este estudo preenche um abismo relevante na nossa compreensão sobre a relação entre Transtorno do Espectro do Autismo e Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade”, afirmou o psicólogo, que não estava envolvido no estudo.

Fontes:

1 GHIRARDI l. et al., 2018. Genetic and environmental contribution to the overlap between ADHD and ASD trait dimensions in young adults: a twin study. J Psychol Med. 2018 Sep 7:1-9. doi: 10.1017/S003329171800243X. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/30191778 . Acesso em: 29 de outubro de 2018.

2 OVERLAP IN TRAITS OF AUTISM, ATTENTION DEFICIT PERSISTS INTO ADULTHOOD. SPECTRUM NEWS. Disponível em: https://www.spectrumnews.org/news/overlap-traits-autism-attention-deficit-persists-adulthood/ . Acesso em: 29 de outubro de 2018.

3 POLDERMAN TJ. et al., 2014. The co-occurrence of autistic and ADHD dimensions in adults: an etiological study in 17,770 twins. Transl Psychiatry. 2014 Sep 2;4:e435. doi: 10.1038/tp.2014.84. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25180574 . Acesso em: 30 de outubro de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top