skip to Main Content

TDAH no ambiente de trabalho: como transformar desafios em oportunidades

New 5c01aebee18ec

Foco excelente, atenção aos detalhes, velocidade e organização – características que os empregadores buscam nos candidatos às vagas. Bem, não são qualidades exatamente fortes nas pessoas diagnosticadas com Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH).

Mas, existem estratégias para colaborar com estas questões e alcançar o sucesso profissional. Hoje, vamos dar uma olhada no que o profissional com TDAH irá enfrentar e o que pode fazer para transformar desafios em oportunidades.

Como o TDAH afeta o mundo do trabalho?

Foco e produtividade por longos períodos de tempo pode ser um problema para pessoas com TDAH. Uma pesquisa nos Estados Unidos1 comprovou isso, estimando a dificuldade dos pacientes em manter um trabalho de turno integral. A diferença da manutenção da vaga entre pessoas com a sem o transtorno é significativa.

– 50% das pessoas com TDAH conseguem manter o emprego de turno integral;

– 72% das pessoas sem a desordem conseguem manter o emprego de turno integral.

Mas, o mais triste vem agora: pessoas com TDAH, mesmo capazes de prosseguir no trabalho, ganham menos do que seus colegas. A pesquisa avaliou que, todos os anos, 77 bilhões de dólares deixam de ser entregues aos funcionários com TDAH.

Este não precisa ser o seu caso. Como o TDAH afetará o seu trabalho depende da gravidade da sua condição e da sua capacidade de administrar as situações.

Algumas pessoas podem apenas sentir dificuldades de se manter por muito tempo em uma mesma tarefa. Já outros, não conseguem passar o dia inteiro no escritório sem explodir com o chefe ou um colega. Em casos graves, é comum que haja troca constante de emprego ou se recorra a algum seguro saúde oferecido pelo governo.

Na pele do funcionário

O TDAH afeta a performance profissional de diversas formas. Dificuldade em ficar sentado, desorganização da mesa, considerar reuniões maçantes ou prazos impossíveis, tudo pode afetar a performance do paciente.

O site WebMD2 explica que pessoas diagnosticadas com o transtorno tendem a ter problemas com atenção, memória, processamento mental e fluência verbal. São questões ligadas à Função Executiva, um tópico que sempre abordamos nos textos aqui, do app Focus TDAH.

Mas, nem tudo são sombras neste mundo. A forma com que você lidará com sua desordem é crucial para transformar a maneira com que os outros lidam com você.

Revertendo o jogo

Sempre incentivamos pais a conversarem com as escolas para que, juntamente com professores, desenvolvam estratégias que permitam o máximo potencial das crianças. Pois bem, agora é sua vez de conversar com seu chefe para alcançar o mesmo objetivo.

E o que você dirá? Dará uma aula sobre sua Função Executiva e seus lobos frontais? Não exatamente. Você dominará seus pontos fortes e os métodos mais eficientes de trabalho para que a equipe inteira saia ganhando.

Enquanto o funcionário padrão trará resultados padrão para a empresa, talvez, seja interessante mostrar ao gestor que o funcionário capaz de levar a equipe para outro nível é justamente aquele que enxerga o mundo de outra forma: você.3

Claro, para isso serão necessários alguns ajustes no método de trabalho, como permitir que suas atividades (aquelas que envolvem criatividade), tenham prazos mais extensos. Você também pode pedir que suas demandas sejam mais bem explicadas e, principalmente, passadas por escrito.

Vamos ver três questões que podem e devem ser ajustadas no ambiente de trabalho para que o time extraia o melhor de todos os funcionários. Tente combinar algumas destas mudanças com seu chefe. Comprometa-se com o desafio.

Perceba como muitas destas estratégias já colaboraram com seu TDAH na infância. Elas seguirão funcionando, é tudo questão de adaptação para este novo cenário.

Gerenciamento de tempo: o TDAH é uma desordem que consume muito tempo, explica o Dr. Russell Barkley4, Professor de Psiquiatria e Pediatria na Universidade de Medicina da Carolina do Sul.

Barkley, um dos mais respeitados especialistas em TDAH no mundo, explica que a distração interfere diretamente no tempo para completar tarefas. Para resolver esta situação, os gestores podem acompanhar o trabalho mais de perto ou você pode utilizar lembretes digitais, como apps planejadores de tarefas.

“É muito comum que um paciente de TDAH subestime o tempo necessário para executar uma demanda”, explica Barkley, “ou até mesmo quanto tempo resta até que o prazo se esgote. O tempo é um inimigo do transtorno e, portanto, as ferramentas de gerenciamento são grandes aliadas para pessoas que sofrem da desordem”, esclarece o professor.

Configuração do escritório: como é muito fácil se distrair, escritórios com estas novas configurações amplas, abertas, com poucas paredes, tornam o trabalho ainda mais difícil. Barulhos, estímulos visuais e conversas paralelas podem se tornar grandes problemas.

Tente barganhar um espaço individual para você, mesmo que pequeno, mas que tenha tranquilidade e silêncio.

Dinâmica de equipe: É parte do trabalho do gestor saber compor seu time. Conhecer os pontos fortes e fracos de cada funcionário é um dos fundamentos da liderança. No caso de funcionários com TDAH, “a vontade de conversar e de socializar pode sim tornar o funcionário com o transtorno uma presença sempre desejável por perto”, defende o Dr. Barkley.

Mas, esta característica tem dois lados. “Pessoas com TDAH podem falar demais e perder a noção do comportamento em grupo, dizendo coisas desagradáveis aos sentimentos alheios”, adverte o professor.

Portanto, Dr. Barkley indica aos gestores que reflitam bem na hora de colocar um paciente com TDAH em posições de liderança.

Barkley deixa claro que há exceções, mas, em termos gerais, estes funcionários têm muito mais a contribuir como uma importante peça de um time do que como um gerenciador de pessoas ou tarefas.

Fontes:

1 BIEDERMAN J et al., 2006. Functional impairments in adults with self-reports of diagnosed ADHD: A controlled study of 1001 adults in the community. J Clin Psychiatry. 2006 Apr;67(4):524-40. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16669717 . Acesso em: 25 de outubro de 2018.

2 ADHD IN THE WORKPLACE. WEBMD. Disponível em: https://www.webmd.com/add-adhd/adhd-in-the-workplace#2 . Acesso em: 25 de outubro de 2018.

3 WHAT EMPLOYEES WITH ADHD WANT YOU TO KNOW. FORBES. Disponível em: https://www.forbes.com/sites/denisebrodey/2018/10/04/what-employees-with-adhd-want-you-to-know/#71b1c9043379 . Acesso em: 25 de outubro de 2018.

4 HOW TO MANAGE EMPLOYEES WITH ADD/ADHD. FORBES. Disponível em: https://www.forbes.com/sites/victorlipman/2012/10/02/how-to-manage-employees-with-addadhd/#26d1ccad78c9 . Acesso em: 25 de outubro de 2018.

Compartilhe com seus amigos!
Back To Top